#Resenha: A Redenção de Gabriel

Prontos para conhecerem o final desta trilogia que arrebatou milhares de fãs pelo mundo? Então vamos lá...

A Redenção de Gabriel- livro 3 da trilogia O Inferno de Gabriel  - Sylvain Reynard
432 páginas - Editora Arqueiro
E chegamos ao final da trilogia com Gabriel e Júlia casados e morando em Massachusetts. Enquanto Gabriel dá aulas na universidade, Júlia começa seu doutorado em Harvard.
Mas não pensem que tudo são flores na vida do casal. Além das dificuldades de um doutorado, Júlia ainda tem que provar seu valor acadêmico, ou seja, mostrar que não está ali apenas por conta de seu marido, mas sim por méritos próprios.
Sua grande chance é quando ela é convidada para uma conferência em Oxford. Fora o estresse da apresentação, ela tem que lidar com o conflito de opiniões existente entre ela e Gabriel, e de quebra, as fofocas espalhadas por Christa a respeito de sua capacidade.
Já na vida pessoal do casal, ambos tem que lidar com fantasmas da infância e se entenderem em qual seria a melhor para terem um filho. Enquanto Gabriel quer ter logo, Júlia prefere esperar o fim de seu doutorado.
Em meio aos medos e inseguranças, este casal tem como arma o amor que os une. Será ele forte o suficiente para que superem suas diferenças e o resgatem do passado triste?
Na minha opinião este foi o livro mais fraco entre os três. Não sei se pelo enredo em si, ou se pela minha falta de paciência com a Júlia(anta). Para mim ela fez muita tempestade em cima do desejo de Gabriel ser pai. Eu entendo que não é fácil fazer um doutora, mas vamos combinar que ela não trabalha, é rica, tem um marido que a apóia entre outros fatores. Então eu penso, pra que tanto drama com este assunto? Quem vê pensa que ela iria criar o filho sozinha e era uma pobre coitada. Tá, vocês vão dizer que o medo vinha mais dos traumas de infância, tudo bem, aceito, mas que ela faz drama, isso ela faz.
Outra coisa que me incomodou não só neste volume, mas ao longo da série e culminando aqui, foi Júlia ser tão "certinha" e "perfeita". Isso enjoa. Eu posso até ter pego implicância com a personagens, mas analisando algumas passagens vejo que não é só isso. Com ela é meio dois pesos, duas medidas. Ela não vê problema em sair para almoçar com um rapaz que é declaradamente apaixonado por ela, mas não gosta que o Gabriel fale com outra mulher... Acha que o Gabriel tem que ir atrás da sua família sanguínea, mas não encara os próprios problemas, e por aí vai.
Enfim, acabei achando que as coisas vieram se enrolando. Acho até que toda a história do casal ficaria melhor em dois livros. Vale dizer porém, que gostei muito dos diálogos existente entre o casal, isso claro, quando ela não estava se martirizando por alguma coisa.

E vocês, o que acharam da trilogia? Já leram? Gostaram? Quem não leu, o que achou do que contei aqui nas resenhas? Perdeu alguma? Então confere abaixo:

a Rafflecopter giveaway

#Resenha: A Redenção de Gabriel

Prontos para conhecerem o final desta trilogia que arrebatou milhares de fãs pelo mundo? Então vamos lá...

A Redenção de Gabriel- livro 3 da trilogia O Inferno de Gabriel  - Sylvain Reynard
432 páginas - Editora Arqueiro
E chegamos ao final da trilogia com Gabriel e Júlia casados e morando em Massachusetts. Enquanto Gabriel dá aulas na universidade, Júlia começa seu doutorado em Harvard.
Mas não pensem que tudo são flores na vida do casal. Além das dificuldades de um doutorado, Júlia ainda tem que provar seu valor acadêmico, ou seja, mostrar que não está ali apenas por conta de seu marido, mas sim por méritos próprios.
Sua grande chance é quando ela é convidada para uma conferência em Oxford. Fora o estresse da apresentação, ela tem que lidar com o conflito de opiniões existente entre ela e Gabriel, e de quebra, as fofocas espalhadas por Christa a respeito de sua capacidade.
Já na vida pessoal do casal, ambos tem que lidar com fantasmas da infância e se entenderem em qual seria a melhor para terem um filho. Enquanto Gabriel quer ter logo, Júlia prefere esperar o fim de seu doutorado.
Em meio aos medos e inseguranças, este casal tem como arma o amor que os une. Será ele forte o suficiente para que superem suas diferenças e o resgatem do passado triste?
Na minha opinião este foi o livro mais fraco entre os três. Não sei se pelo enredo em si, ou se pela minha falta de paciência com a Júlia(anta). Para mim ela fez muita tempestade em cima do desejo de Gabriel ser pai. Eu entendo que não é fácil fazer um doutora, mas vamos combinar que ela não trabalha, é rica, tem um marido que a apóia entre outros fatores. Então eu penso, pra que tanto drama com este assunto? Quem vê pensa que ela iria criar o filho sozinha e era uma pobre coitada. Tá, vocês vão dizer que o medo vinha mais dos traumas de infância, tudo bem, aceito, mas que ela faz drama, isso ela faz.
Outra coisa que me incomodou não só neste volume, mas ao longo da série e culminando aqui, foi Júlia ser tão "certinha" e "perfeita". Isso enjoa. Eu posso até ter pego implicância com a personagens, mas analisando algumas passagens vejo que não é só isso. Com ela é meio dois pesos, duas medidas. Ela não vê problema em sair para almoçar com um rapaz que é declaradamente apaixonado por ela, mas não gosta que o Gabriel fale com outra mulher... Acha que o Gabriel tem que ir atrás da sua família sanguínea, mas não encara os próprios problemas, e por aí vai.
Enfim, acabei achando que as coisas vieram se enrolando. Acho até que toda a história do casal ficaria melhor em dois livros. Vale dizer porém, que gostei muito dos diálogos existente entre o casal, isso claro, quando ela não estava se martirizando por alguma coisa.

E vocês, o que acharam da trilogia? Já leram? Gostaram? Quem não leu, o que achou do que contei aqui nas resenhas? Perdeu alguma? Então confere abaixo:

a Rafflecopter giveaway

Editoras Parceiras