#Resenha As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavander

Convido vocês a conhecerem um pouco mais do livro da Leslye Walton, espero que gostem.
 
 As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavander - Leslye Walton
303 páginas - Editora Novo Conceito
O livro é dividido em duas partes, embora não haja essa divisão definida no livro.
A primeira parte conta o início de toda família Roux e da falta de sorte no amor que permeava toda família...
Maman casou-se com Beauregard Roux, que em uma noite qualquer de verão, saiu e não retornou mais. Tiveram Emelienne, Margaux, René e Pierette, todos um tanto estranhos.
Pirette se apaixonou por um homem mais velho que gostava de observar pássaros e para chamar atenção de seu amado, transformou-se em um canário.
René, o único menino da família, era um deus de tanta beleza, de meninas à mulheres se arrastavam aos seus pés quando passava, porém ele gostava dos meninos.
Emilienne tinha poderes sobrenaturais, podia ler mentes, atravessar paredes e mover objetos usando apenas o poder do pensamento. Na verdade ela era apenas mais sensível e tinha uma percepção aguçada maior que as outras pessoas.
Margaux engravidou aos 16 anos e teve um menino de olho azul e outro verde; descobriu que o filho de Margaux era de Satin Lush, noivo de Emilienne e aí a família desandou...
Margaux foi encontrada no banheiro coletivo e havia arrancado o próprio coração usando uma faca de prata e ao lado um bilhete para a irmã...A criança morreu horas depois.
Após o falecimento da irmã René se apaixonou por um homem casado. A mulher pegou o marido na cama com René que fugiu nu com uma multidão atrás dele na rua, ficou fugido e se escondido nas docas. Na manhã seguinte a famíliaRoux encontrou o corpo de René na soleira da porta com o rosto coberto por um lenço onde o homem casado havia atirado.
“A primeira onda de chuva quente da primavera fazia mulheres normalmente respeitáveis tirarem suas meias compridas e correrem por poças de lama ao lado dos filhos. [...]”. (pág. 148)
Maman começava a desaparecer e com a morte dos filhos, desapareceu por completo, deixando apenas cinzas azuis entre os lençóis da cama.
Emilienne conhece Connor Lavander que possuía uma padaria e mancava de uma perna devido a poliomielite, usava bengala ao andar. Resolveu dar filhos a ele se saíssem de Manhattan, mesmo sem amá-lo prometeu que seria boa para ele. Juntaram o que tinham, inclusive o canário (Pierrette)  e pegaram o trem rumo a Montana, chegando lá Emilienne não quis morar na cidade, nem em várias outras ao longo do caminho e só desceu do trem em Seattle, em Pinnacle Lane. Pierette morrreu durante a viagem.
Montaram sua padaria e faziam doces de todos os tipos e era um sucesso, apesar dos vizinhos chamarem Emilienne de bruxa por causa de suas previsões. Ela já estava grávida e via os irmãos mortos por todos os lugares da casa.
Viviane nasceu com olhos azuis lindíssimos! E ainda bebê perdeu o pai...e ninguém comprava mais nada na padaria por acharem que Emilienne era bruxa, estranha...Até que Wilhemina Dovewolf chega a Pinnacle Lane e torna-se sócia de Emilienne.
Viviane cresce e tinha o estranho poder de sentir os cheiros das coisas, sabia tudo sobre as coisas e pessoas através do cheiro. Conhece Jack, seu vizinho e se apaixonam. As vésperas de Jack ir para faculdade e totalmente apaixonados, Viviane se entrega a Jack que parte jurando voltar por amor a ela. Viviane fica grávida e Jack se casa com outra pessoa na faculdade, nunca soube do nascimento de seus filhos: Ava e Henry Lavander.
Ava nasceu com asas e Henry não  falava. A mãe os mantinha dentro de casa para protegê-los da crueldade do mundo... ainda assim, Ava não passou incólume pela vida...
Como dá para notar pelo resumo do livro, a família Roux é bem estranha para os padrões ditos ‘normais’, o que torna o livro ainda mais surreal e atrativo. A mistura da fantasia inserida na realidade do cotidiano. Uma ficção que bem poderia ser real, porque na vida vemos tantas coisas estranhas...
O que o livro mostra é que o amor não é mesmo para a família Roux, que sofre de várias formas até chegar a Ava e sua curiosidade sobre o mundo fora de casa e a inconformidade com suas asas...
Bem a lição que tirei é: mesmo que sejamos diferentes, não devemos nos esconder de nada, nem de ninguém. Devemos viver cada experiência que a vida nos oferece, porque, caso contrário, seremos mesmo vistos como diferentes e nos tornaremos alvos fáceis para aqueles que são obsessivos.
É uma ficção bem escrita, envolvente, embora um tanto monótona ao início, por causa de toda história da família, árvore genealógica, etc... Aos poucos fui me envolvendo na estória de Emilienne e todo seu drama, com a desilusão amorosa de Viviane e por fim, com o assédio à Ava.
”Prever o futuro, eu viria a aprender mais tarde, não significa nada se nada pode ser feito para evitá-lo. O que apenas prova que minha história é muito mais complicada do que apenas a história do meu nascimento – ou até mesmo a história da minha vida. Na verdade, minha história, como a de todo mundo, começa com o passado e com uma árvore genealógica.” (pág. 10)
O livro é mais que interessante, é mais profundo do que aparenta e mostra as desilusões que a vida traz a cada curva no caminho e claro que tem amor, porém é um amor as avessas, se é que posso chamar assim.
Não é um livro engraçado, é  um livro dramático que traz muito ensinamento. A única ressalva que faço é justamente o que já citei antes... Como é narrado por Ava, os sentimentos da primeira parte do livro me pareceram um tanto superficiais, afinal, não tinha vivido nada daquilo, no mais, o livro é mais que recomendado.
NOTA : 3,80 de 4,00
Cheirinhos


#Resenha As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavander

Convido vocês a conhecerem um pouco mais do livro da Leslye Walton, espero que gostem.
 
 As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavander - Leslye Walton
303 páginas - Editora Novo Conceito
O livro é dividido em duas partes, embora não haja essa divisão definida no livro.
A primeira parte conta o início de toda família Roux e da falta de sorte no amor que permeava toda família...
Maman casou-se com Beauregard Roux, que em uma noite qualquer de verão, saiu e não retornou mais. Tiveram Emelienne, Margaux, René e Pierette, todos um tanto estranhos.
Pirette se apaixonou por um homem mais velho que gostava de observar pássaros e para chamar atenção de seu amado, transformou-se em um canário.
René, o único menino da família, era um deus de tanta beleza, de meninas à mulheres se arrastavam aos seus pés quando passava, porém ele gostava dos meninos.
Emilienne tinha poderes sobrenaturais, podia ler mentes, atravessar paredes e mover objetos usando apenas o poder do pensamento. Na verdade ela era apenas mais sensível e tinha uma percepção aguçada maior que as outras pessoas.
Margaux engravidou aos 16 anos e teve um menino de olho azul e outro verde; descobriu que o filho de Margaux era de Satin Lush, noivo de Emilienne e aí a família desandou...
Margaux foi encontrada no banheiro coletivo e havia arrancado o próprio coração usando uma faca de prata e ao lado um bilhete para a irmã...A criança morreu horas depois.
Após o falecimento da irmã René se apaixonou por um homem casado. A mulher pegou o marido na cama com René que fugiu nu com uma multidão atrás dele na rua, ficou fugido e se escondido nas docas. Na manhã seguinte a famíliaRoux encontrou o corpo de René na soleira da porta com o rosto coberto por um lenço onde o homem casado havia atirado.
“A primeira onda de chuva quente da primavera fazia mulheres normalmente respeitáveis tirarem suas meias compridas e correrem por poças de lama ao lado dos filhos. [...]”. (pág. 148)
Maman começava a desaparecer e com a morte dos filhos, desapareceu por completo, deixando apenas cinzas azuis entre os lençóis da cama.
Emilienne conhece Connor Lavander que possuía uma padaria e mancava de uma perna devido a poliomielite, usava bengala ao andar. Resolveu dar filhos a ele se saíssem de Manhattan, mesmo sem amá-lo prometeu que seria boa para ele. Juntaram o que tinham, inclusive o canário (Pierrette)  e pegaram o trem rumo a Montana, chegando lá Emilienne não quis morar na cidade, nem em várias outras ao longo do caminho e só desceu do trem em Seattle, em Pinnacle Lane. Pierette morrreu durante a viagem.
Montaram sua padaria e faziam doces de todos os tipos e era um sucesso, apesar dos vizinhos chamarem Emilienne de bruxa por causa de suas previsões. Ela já estava grávida e via os irmãos mortos por todos os lugares da casa.
Viviane nasceu com olhos azuis lindíssimos! E ainda bebê perdeu o pai...e ninguém comprava mais nada na padaria por acharem que Emilienne era bruxa, estranha...Até que Wilhemina Dovewolf chega a Pinnacle Lane e torna-se sócia de Emilienne.
Viviane cresce e tinha o estranho poder de sentir os cheiros das coisas, sabia tudo sobre as coisas e pessoas através do cheiro. Conhece Jack, seu vizinho e se apaixonam. As vésperas de Jack ir para faculdade e totalmente apaixonados, Viviane se entrega a Jack que parte jurando voltar por amor a ela. Viviane fica grávida e Jack se casa com outra pessoa na faculdade, nunca soube do nascimento de seus filhos: Ava e Henry Lavander.
Ava nasceu com asas e Henry não  falava. A mãe os mantinha dentro de casa para protegê-los da crueldade do mundo... ainda assim, Ava não passou incólume pela vida...
Como dá para notar pelo resumo do livro, a família Roux é bem estranha para os padrões ditos ‘normais’, o que torna o livro ainda mais surreal e atrativo. A mistura da fantasia inserida na realidade do cotidiano. Uma ficção que bem poderia ser real, porque na vida vemos tantas coisas estranhas...
O que o livro mostra é que o amor não é mesmo para a família Roux, que sofre de várias formas até chegar a Ava e sua curiosidade sobre o mundo fora de casa e a inconformidade com suas asas...
Bem a lição que tirei é: mesmo que sejamos diferentes, não devemos nos esconder de nada, nem de ninguém. Devemos viver cada experiência que a vida nos oferece, porque, caso contrário, seremos mesmo vistos como diferentes e nos tornaremos alvos fáceis para aqueles que são obsessivos.
É uma ficção bem escrita, envolvente, embora um tanto monótona ao início, por causa de toda história da família, árvore genealógica, etc... Aos poucos fui me envolvendo na estória de Emilienne e todo seu drama, com a desilusão amorosa de Viviane e por fim, com o assédio à Ava.
”Prever o futuro, eu viria a aprender mais tarde, não significa nada se nada pode ser feito para evitá-lo. O que apenas prova que minha história é muito mais complicada do que apenas a história do meu nascimento – ou até mesmo a história da minha vida. Na verdade, minha história, como a de todo mundo, começa com o passado e com uma árvore genealógica.” (pág. 10)
O livro é mais que interessante, é mais profundo do que aparenta e mostra as desilusões que a vida traz a cada curva no caminho e claro que tem amor, porém é um amor as avessas, se é que posso chamar assim.
Não é um livro engraçado, é  um livro dramático que traz muito ensinamento. A única ressalva que faço é justamente o que já citei antes... Como é narrado por Ava, os sentimentos da primeira parte do livro me pareceram um tanto superficiais, afinal, não tinha vivido nada daquilo, no mais, o livro é mais que recomendado.
NOTA : 3,80 de 4,00
Cheirinhos


Editoras Parceiras