#Resenha O Rouxinol

Sou fã declarada da Kristin Hannah, e quando vi o lançamento deste livro, sabia que vinham emoções pela frente. Então  preparem-se...

O Rouxinol - Kristin Hannah
432 páginas - Editora Arqueiro
Nem sei por onde começar a resenha, mas vou tentar fazer o melhor.
Vianne e Isabelle eram meninas quando a primeira guerra mudou para sempre Julian Rossignol, o pai delas. Aquele pai amoroso e carinhoso morreu na guerra, e o que voltou para casa era uma cópia falsa de quem ele era.
A mãe das meninas fazia o possível, mas não adiantava muito. E a coisa piorou quando ela morreu.
Sem pensar muito, Julian, acabou dando as crianças. Vianne, a mais velha e mais tímida tentou ser pai e mãe de Isabelle, mas esta, cheia de revolta e muito voluntariosa, não aceitava a situação.
As diferenças de personalidades e entre elas próprias, além do fato de Isa não aceitar a opinião de ninguém e de sempre fazer o que lhe desse na telha, acabou afastando as duas. Vianne se casou e teve uma filha, Sophie. Isa não se encontrou, e vivia sendo expulsa das escolas que frequentava.
Então veio o início da Segunda Guerra Mundial, e com ela a convicção de Isa de que ela poderia e queria fazer a diferença. Ela queria ser uma heroína, e estava disposta a provar que as mulheres poderiam muito mais que a sociedade estava disposta a dar.
Já Vianne queria apenas que seu marido voltasse logo, e que tudo não passasse de fogo de palha dos alemães.
O problema é que a guerra era muito real, e logo os alemães estavam por todos os lados, inclusive no pequeno vilarejo de Carriveau (França), onde Vianne morava. Para seu desespero, ela é obrigada a dividir sua casa com Beck, um oficial das tropas de Hitler. E este é só o começo de seu calvário...
Enquanto Vianne tenta manter a si mesma e a sua filha vivas e em segurança, Isa quer o contrário, ela quer a luta, ela quer fazer a diferença.
Para não colocar Vianne ou Sophie em perigo, Isa vai embora fazer o que estava disposta a fazer. Ela passou do discurso para a ação. Isa agora atende por Juliette Gervaise, e passa a transportar pilotos aliados abatidos pelos alemães. Sem nada a perder e muito confiante, Isa fica cada dia mais ousada, e logo os alemães estão a procura de quem atende pelo codinome de "O Rouxinol".
Vianne por sua vez está travando sua própria guerra, e a seu modo vai enfrentando os perigos de querer fazer algo. Fazer o certo aliás é um luxo nem sempre possível. Tendo que tomar decisões difíceis a todo momento, ela percebe como a guerra pode mudar as pessoas e no que elas acreditam. É na guerra que a verdadeira pessoa se mostra, e a verdadeira Vianne estava vindo a tona. Apesar de todo o medo que sentia, ela decidiu fazer algo, mesmo que pague um alto preço por isso.
Isa já está em uma fase que não pode vacilar. Qualquer erro a levaria a morte, não só dela, mas de todos os envolvidos nas missões ou nas sabotagens. Agora ela entendia o medo que Vianne sentia. agora ela tinha o que perder, ela tinha Gaeton, o guerrilheiro que roubou seu coração.
O mundo está devastado, e a França é uma pálida sombra do que já foi um dia, mas ninguém estava disposto a desistir e entregar os pontos. O importante era manter-se vivo, dia após dia...
Vianne e Isabella, duas irmãs separadas por suas diferenças, mas que estão dispostas a tudo para proteger a quem amam. E em meio a destruição a guerra, será que elas vão conseguir encontrarem a si mesmas?Será que as decisões que tomaram vão levá-las a um caminho sem volta? Elas conseguiram sobreviverem ao fim da guerra? Ou até o fim da guerra? E a que preço?
Sensacional!!!! Não tenho outra palavra para descrever este livro. É bem verdade que Isa em muitas ocasiões me irritou por conta de sua imaturidade, impulsividade e até certo egoísmo. Porém, é inegável a coragem e força desta garota. Me identifiquei mais com Vianne, talvez por ser mais madura, ou por ser mãe. Mas verdade seja dita, as duas me levaram às lágrimas. Hannah mais uma vez massacrou meu coração e está definitivamente entre as minhas autoras favoritas com seus enredos de ficção com um pé na realidade.
Leiam sem medo, mas preparem seus corações.
Já ia me esquecendo, a capa é um espetáculo a parte, e para finalizar esta resenha, deixo com vocês um depoimento da autora:
a Rafflecopter giveaway

13 comentários:

  1. Gostei muito da sua resenha, já estou incluindo na minha lista de livros para ler. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inclua sem medo Clarice, este livro é ótimo!
      Bjs, Rose.

      Excluir
  2. Oi Rose,
    não conhecia o livro, mas parece ser bem legal.
    Uma história um pouco diferente.
    dica anotada.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, Rose.
    Sempre gosto de livros que se passam em períodos de guerra, pois isso evidencia diversos traços nos personagens: coragem, dor, aspectos psicológicos... Certamente vou querer conferir a história dessas duas irmãs.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de novembro. Você pode ganhar um livro incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vai gostar, pois os traços que você citou estão todos lá.
      Bjs, Rose

      Excluir
  4. ja comecei com "como ela ja leu?" eu quero o meu rsrsrs to morrendo de saudade dos livros dela!
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilho! Você vai gostar.
      Bjs, Rose

      Excluir
  5. Olá Rose,
    assim como vc sou apaixonada por Kristen Hanna, fiquei arrasada quando soube que os livros dela não vendem muito aqui :o Já li três livros dela e se tornou uma das minhas autoras favoritas. Sua resenha me deixou com água na boa, duas irmãs e personalidades contrárias.
    Ah te indiquei para uma TAG - esse ou esse? lá no blog. Dá uma olhada.

    Abraços,
    Anne
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Ana primeiro, obrigada pela indicação, pode deixar que vou lá conferir.
      A Kristin sempre me leva às lágrimas, mas não me importo, poque ela é ótima!
      Bjs, Rose.

      Excluir
  6. Já li várias resenhas sobre este livro, e gostaria muito de ler. Aprecio livros que envolvem tramas reais. Já está na minha lista de leitura de 2016.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sandra, também adoro quando a ficção tem um pé na realidade. É um livro muito bom, leia sem medo.
      Bjs, Rose

      Excluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.