#Resenha Cena de Desejo & Cena de Ousadia

Depois da intensa e forte leitura do livro Dois Pais, achei melhor espairecer um pouco, e optei por um romance mais leve, e para isso, nada melhor que livro de banca. Espero que gostem!
Este livro segue a saga Os Hudson de Beverly Hills com mais duas histórias. 
Cena de Desejo - Barbara Dunlop
Charlotte Hudson, não conviveu com o glamour em torno do nome de sua família. Com a morte prematura de sua mãe, quando era apenas uma criança, ela acabou sendo separada de seu irmão Jack e foi viver com seus avós maternos na Europa.
Criada pelos avós, ela quase não teve contato com o lado paterno da família, incluindo seu tão amado e agora distante irmão.
Agora, aos 25 anos, ela era assessora do Embaixador Edmond Cassettes, seu avô. E foi no meio de uma comitiva em Nova Orleans que ela recebeu a ligação de seu irmão com um pedido, que ela conseguisse a locação do château da família Montcalm para as filmagens que a Hudson Pictures estava fazendo sobre a famosa história de amor dos avôs deles.
Querendo provar que mesmo sem o convívio dos Hudson, ela tinha suas próprias armas, e que era tão capa quanto qualquer um deles, ela aceitou o desafio. Sem falar, claro, que o château era propriedade de sua melhor amiga Raine Montcalm.
Mas quando ela chegou ao local, o que seria um simples pedido acabou se complicando, pois em vez de Raine, ela teve que enfrentar o irmão da amiga, o empresário Henri Montcalm, a quem não tinha esquecido a noite que poderiam ter tido anos atrás caso seu avô não tivesse interferido.
Desde o incidente eles não tinham mais se visto, mas Charlotte notou que ele estava ainda mais bonito e que se lembrava muito bem do fatídico dia.
Henri jogou duro, e como não queria decepcionar a família, Charlotte acabou aceitando as condições impostas por Henri, entre elas, a de que se mudaria para o Château enquanto as filmagens rolassem, e que ela seria a única responsável por manter tudo em ordem para ele.
Apesar de perceber que estava indo para a cova do leão, Charlotte não imaginava que Henri iria colocar em ação seu plano de sedução, pois desde que conheceu, não conseguiu esquecê-la. 
Acontece que Charlotte não estava disposta a se deixar levar pelos galanteios de Henri. Ela não seria mais uma conquista a aparecer nas colunas sociais. Não ia deixar que alguns momentos de prazer destruíssem sua reputação no trabalho. 
Enquanto isso, Henri ia descobrindo um lado de Charlotte que ele imaginava já estar extinto. Pelo menos era assim nas mulheres que ele conheceu. Mas seu medo de ser visto apenas como um cartão ilimitado pode afastar de vez este casal.

Uma história simples, sem grandes reviravoltas ou revelações. Não entendi direito porque os Hudson nunca se interessaram em conhecerem melhor Charlotte, mesmo que esta morasse na Europa, longe deles. Apesar disso, achei muito fofo a atitude do irmão quando foi protegê-la e resolver a questão.

Cena de Ousadia - Emilie Rose
Max Hudson sempre viveu sob pressão. Em sua área de atuação, o produtor de cinema sabia como ninguém correr contra o tempo. Agora mais do que nunca ele precisava colocar em prática todos os anos de trabalho e seu talento se quisesse ter o desejo de sua avó atendido e o filme contando a história de amor dela fosse para as telonas antes da morte da matriarca.
Desde a morte de sua esposa, ele sempre pode contar com o apoio e o talento de sua assistente Dana Fallon. Dana era a responsável por resolver todos os seus problemas, sejam profissionais ou pessoais. E isso, sem dúvida, lhe adiantava e facilitava a vida.
Por isso, quando ela lhe entregou sua carta de demissão, ele ficou sem chão.
O que Max não tinha notado, era que Dana carregava um bonde por ele, e estava cansada de ser olhada apenas como amiga ou profissional. Ela queria e merecia mais do que isso, por isso resolveu ir embora e conhecer novos ares.
Max no entanto não vai deixar que nada atrapalhe o andamento do filme de sua avó, nem mesmo Dana. Usando de todo seu esforço, influência e charme, ele vai fazer o possível e impossível para demover Dana da ideia de ir embora. 
Ele só não contava que em meio a correria para entrega do filme, Dana fosse não só desestabilizar sua vida profissional como também a pessoal. A Dana que ele estava vendo na sua frente tinha algo que a Dana que ele conhecia não tinha, e isso estava mexendo com ele.
Mas ele precisava ficar atento, pois um possível vazamento sobre as filmagens do filme parece ter caído em mãos inimigas, e a Willow iria lançar um filme muito parecido com o da Hudson Pictures. Será que o envolvimento de Dana com Lewis, produtor da Willow, era a fonte deste vazamento.
Como manter Dana trabalhando para si e afastada de Lewis? Definitivamente ele precisaria usar seus dons.

Mais um enredo simples com personagens interessantes. Achei que Dana demorou muito para mandar Max para o espaço, em compensação, não tem como não dar o braço a torcer pela atitude dele no final da história.
Para quem procura um enredo descomplicado, ou quer apenas espairecer depois de uma leitura mais intensa, é uma boa pedida. 

#Resenha Cena de Desejo & Cena de Ousadia

Depois da intensa e forte leitura do livro Dois Pais, achei melhor espairecer um pouco, e optei por um romance mais leve, e para isso, nada melhor que livro de banca. Espero que gostem!
Este livro segue a saga Os Hudson de Beverly Hills com mais duas histórias. 
Cena de Desejo - Barbara Dunlop
Charlotte Hudson, não conviveu com o glamour em torno do nome de sua família. Com a morte prematura de sua mãe, quando era apenas uma criança, ela acabou sendo separada de seu irmão Jack e foi viver com seus avós maternos na Europa.
Criada pelos avós, ela quase não teve contato com o lado paterno da família, incluindo seu tão amado e agora distante irmão.
Agora, aos 25 anos, ela era assessora do Embaixador Edmond Cassettes, seu avô. E foi no meio de uma comitiva em Nova Orleans que ela recebeu a ligação de seu irmão com um pedido, que ela conseguisse a locação do château da família Montcalm para as filmagens que a Hudson Pictures estava fazendo sobre a famosa história de amor dos avôs deles.
Querendo provar que mesmo sem o convívio dos Hudson, ela tinha suas próprias armas, e que era tão capa quanto qualquer um deles, ela aceitou o desafio. Sem falar, claro, que o château era propriedade de sua melhor amiga Raine Montcalm.
Mas quando ela chegou ao local, o que seria um simples pedido acabou se complicando, pois em vez de Raine, ela teve que enfrentar o irmão da amiga, o empresário Henri Montcalm, a quem não tinha esquecido a noite que poderiam ter tido anos atrás caso seu avô não tivesse interferido.
Desde o incidente eles não tinham mais se visto, mas Charlotte notou que ele estava ainda mais bonito e que se lembrava muito bem do fatídico dia.
Henri jogou duro, e como não queria decepcionar a família, Charlotte acabou aceitando as condições impostas por Henri, entre elas, a de que se mudaria para o Château enquanto as filmagens rolassem, e que ela seria a única responsável por manter tudo em ordem para ele.
Apesar de perceber que estava indo para a cova do leão, Charlotte não imaginava que Henri iria colocar em ação seu plano de sedução, pois desde que conheceu, não conseguiu esquecê-la. 
Acontece que Charlotte não estava disposta a se deixar levar pelos galanteios de Henri. Ela não seria mais uma conquista a aparecer nas colunas sociais. Não ia deixar que alguns momentos de prazer destruíssem sua reputação no trabalho. 
Enquanto isso, Henri ia descobrindo um lado de Charlotte que ele imaginava já estar extinto. Pelo menos era assim nas mulheres que ele conheceu. Mas seu medo de ser visto apenas como um cartão ilimitado pode afastar de vez este casal.

Uma história simples, sem grandes reviravoltas ou revelações. Não entendi direito porque os Hudson nunca se interessaram em conhecerem melhor Charlotte, mesmo que esta morasse na Europa, longe deles. Apesar disso, achei muito fofo a atitude do irmão quando foi protegê-la e resolver a questão.

Cena de Ousadia - Emilie Rose
Max Hudson sempre viveu sob pressão. Em sua área de atuação, o produtor de cinema sabia como ninguém correr contra o tempo. Agora mais do que nunca ele precisava colocar em prática todos os anos de trabalho e seu talento se quisesse ter o desejo de sua avó atendido e o filme contando a história de amor dela fosse para as telonas antes da morte da matriarca.
Desde a morte de sua esposa, ele sempre pode contar com o apoio e o talento de sua assistente Dana Fallon. Dana era a responsável por resolver todos os seus problemas, sejam profissionais ou pessoais. E isso, sem dúvida, lhe adiantava e facilitava a vida.
Por isso, quando ela lhe entregou sua carta de demissão, ele ficou sem chão.
O que Max não tinha notado, era que Dana carregava um bonde por ele, e estava cansada de ser olhada apenas como amiga ou profissional. Ela queria e merecia mais do que isso, por isso resolveu ir embora e conhecer novos ares.
Max no entanto não vai deixar que nada atrapalhe o andamento do filme de sua avó, nem mesmo Dana. Usando de todo seu esforço, influência e charme, ele vai fazer o possível e impossível para demover Dana da ideia de ir embora. 
Ele só não contava que em meio a correria para entrega do filme, Dana fosse não só desestabilizar sua vida profissional como também a pessoal. A Dana que ele estava vendo na sua frente tinha algo que a Dana que ele conhecia não tinha, e isso estava mexendo com ele.
Mas ele precisava ficar atento, pois um possível vazamento sobre as filmagens do filme parece ter caído em mãos inimigas, e a Willow iria lançar um filme muito parecido com o da Hudson Pictures. Será que o envolvimento de Dana com Lewis, produtor da Willow, era a fonte deste vazamento.
Como manter Dana trabalhando para si e afastada de Lewis? Definitivamente ele precisaria usar seus dons.

Mais um enredo simples com personagens interessantes. Achei que Dana demorou muito para mandar Max para o espaço, em compensação, não tem como não dar o braço a torcer pela atitude dele no final da história.
Para quem procura um enredo descomplicado, ou quer apenas espairecer depois de uma leitura mais intensa, é uma boa pedida. 

Editoras Parceiras