#Resenha ADEUS À INOCÊNCIA‏

 
http://fabricadosconvites.blogspot.com.br/search/label/%23ByRudy
 
Olá leitores da Fábrica dos Convites o livro é bem polêmico porque trata de violência doméstica de várias formas, espero que apreciem a resenha e ao final, deixem sua opinião, obrigada.
 
RESUMO SINÓPTICO: 

Madora Wellis aos 12 anos perde o pai que comete suicídio em Yuma/Arizona. A mãe o abandona à própria sorte e apesar de tímida e sem muita iniciativa, influenciada pela melhor amiga Kay-Kay, que é o oposto dela e má influência, passa a se envolver com pessoas inescrupulosas, drogas, álcool, etc . Aos 17 anos passa mal em uma das 'festas' e ao sair, se depara com Willis que a 'resgata' daquela situação constrangedora... e passa a ser seu ídolo.
 
Willis Brock é um sociopata, fica a espreita de garotas inocentes como Madora e tenta 'resgatá-las' de sua própria sorte. Sonha em entrar na faculdade de medicina, embora não tenha sido um bom aluno e não tenha passado nos exames que prestou. Após alguns anos vivendo como andarilho e levando Madora consigo, acaba se instalando no Ever Canyon, lugar totalmente deserto, sem TV, telefone, computador, nenhuma tecnologia, afastado de tudo e todos. Madora sente-se grata por Willis tê-la salvo e como o amo, justifica todas suas atitudes, mesmo que não a alimente direito, a mantenha afastada de tudo e todos em uma casa em ruínas. Ele quer economizar cada centavo para cursar a faculdade desejada. Até que um dia ele traz para casa Linda, uma jovem rebelde, drogada e moradora de rua que está grávida; a amarra com correntes no trailer atrás da casa e obriga Madora cozinhar, limpar e cuidar de Linda até que o bebê nasça. E aí que começa a se questionar sobre as atitudes de Willis, porque após o nascimento do bebê, que ele vende, continua a manter Linda prisioneira e passa a mudar de atitude em relação a Madora, chegando a agredi-la fisicamente. 
É nesse contesto que conhece Django Jones, garoto de 12 anos, muito curioso, que acaba de perder os pais em um acidente de carro e apesar de muito rico e de ter um irmão a quem gosta muito, mas não tem condições de ficar com ele, vai morar com a tia Robin. Privado de seus aparelhos eletrônicos e tudo o mais, não consegue se adequar a nova vida.
Ao chegar na casa da tia após a escola, vê um carro parado com um cachorro dentro, os vidros fechados e fica revoltado, entra em casa já brigando com Willis, que está sendo contratado por Robin para dar assistência técnica domiciliar à mãe dela que fará uma cirurgia. Revoltado por ver que Willis deixou o cachorro Foo trancado em um calor insuportável dentro do carro, resolve descobrir onde ele mora e levar Foo para morar consigo. Encontra a Modora e tornam-se amigos, embora ela tente afastá-lo sempre que pode para não confrontar Willis. 
Modora vai descobrir que o mundo é muito mais amplo do que aquele que vive e vai viver uma aventura inesperada ao lado de Django e Foo...




ANÁLISE CRÍTICA E DO AUTOR: 



O livro é um verdadeiro drama. O que achei de mais interessante no livro foi o drama psicológico vivido pela protagonista, embora na minha opinião poderia ser uma pouco mais explorado e desenvolvido pela autora, já que é um fato que acontece mais do que podemos imaginar: pessoas dominadas psicologicamente por outras 'mais fortes'.
Modora foi uma protagonista fraca, extremamente submissa e sem reações, nem questionamentos, daí de repente, ela toma atitudes que jamais esperaria, uma mudança bem radical de uma hora para outra e um tanto tardia. 
Willis é um sociopata de verdade, entretanto, achei que ele seria mais perigo do que realmente é, na verdade, as razões que o levaram a ser assim, vieram da infância de sua mãe, entretanto, isso também não foi explorado. Talvez ele seja mais ambicioso e interessado em um objetivo, do que realmente mau.
O que mais dá vida ao livro é a curiosidade e as atitudes destemidas de Django ao lado de Foo. Apesar da pouca idade, tem conhecimento diversificado e claro, o furar de criatividade de qualquer adolescente. Achei que mesmo sofrendo com a perda dos pais, ficou o sentimento que ele não sofreu tanto e isso é esquisito para um preadolescente...
Não sei dizer... me peguei muitas vezes 'brigando' com o livro, pensando que tal atitude poderia ser diferente, tal pensamento deveria ser de outro jeito, enfim, questionando muito a história que ficou com algumas pontas soltas e teve um final deplorável, na minha opinião.
Bem, a leitura não foi de toda ruim e nem de toda boa. É um livro interessante do ponto de vista de alerta para as adolescentes que se envolvem com alguém de personalidade um pouco mais forte e as dominam. Não foi uma das melhores leituras, faltou algo, talvez um aprofundamento maior das relações, das personagens e dos sentimentos.



NOTA : 3,70 de 5,00


 
 
 
 

0 comentários:

Postar um comentário

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.