#Resenha: Liberte meu Coração

Desde que li A Mediadora de Meg Cabot me apaixonei pela escrita da autora e sempre que posso leio um livro dela.
Nesse ela escreve como a Princesa de Genovia, de O Diário da Princesa, e Mia nos envolve em sua escrita cativante de uma mocinha de época muito avançada.
Liberte meu Coração - Escrito pela princesa da Genovia Mia Thermopolis com ajuda de Meg Cabot.
404 páginas - Editora Galera Record
Finnula ou simplesmente Finn é a filha caçula do moleiro de uma cidade pequena na Inglaterra que não se satisfaz como suas outras 5 irmãs em seus afazeres cotidianos como toda boa mulher do século XIII. Ainda quando criança, seu irmão mais velho apresentou a ela o arco e flecha e desde então ela nunca mais o largou, e se tornou a melhor caçadora de toda região, que nunca erra um alvo e usa umas calças de couro tidas por indecorosas para época em que vive.
Como seus pais morreram, seu irmão mais velho toma conta delas, todas as mais velhas já estão casadas, só restando ela e Mellana solteiras.
Tudo ocorre devido a Mellana que gasta todo o seu dote com coisas triviais, como laços e vestidos – eita, menina fútil e que merecia umas boas palmadas, mas não é uma personagem chata, não se preocupem.
Sei que Finnula, a mais forte e atlética delas acaba na enrascada de ter de sequestrar um cavaleiro de fora da cidade para pedir resgate com a finalidade de Mellana usar esse dinheiro devido ao ocorrido com seu dote. Finnula, como é uma boa irmã, sequestra o homem, que julga um qualquer e que tem dinheiro suficiente para que ela tenha um ótimo resgate.
Mas, as coisas não ocorre dessa forma, esse homem não é um qualquer como ela julgava, e desde o início ela sente uma forte atração por ele e vice-versa. Ambos lutam contra esse sentimento, pois nenhum dos dois querem se
emaranhar em um casamento, ainda mais ele que acaba de chegar das cruzadas para tomar conta de suas terras devido a morte de seu pai.
Só que para piorar as coisas, ele logo é “sequestrado” pela mulher mais teimosa que já conheceu, uma mulher que usa calças – e se indigna pela Inglaterra ter mudado tanto, após ele ir para as cruzadas, pois as mulheres antes não caçavam com arco e flecha e nem usavam calças – e logo passa a perceber que suas terras não foram bem administradas por seu primo, e para piorar tudo a morte de seu pai foi um tanto suspeita. Um monte de fatores formam as suspeitas de que alguém matou seu pai e o próximo da lista é ele.


"Que tipo de mundo era este onde estava? Quando, em nome de Deus, donzelas tinham começado a usar calças de couro, a capturar homens adultos e prendê-los para pedir um resgate? Estava longe da Inglaterra fazia muito tempo, ele percebeu, mas era possível que tanta
coisa tivesse mudado durante esses anos? Porque, dez anos antes, adoráveis donzelas coravam ao falar com um estranho. Não tiravam a roupa na frente de um e depois pulavam em suas costas e seguravam uma faca em seu pescoço."

É uma ótima trama, e a leitura é muito divertida. Finnula não é a típica mocinha indefesa, a mulher se quer chora quando enrascada, muito forte e enfrenta a todos, inclusive as autoridades locais. Ela dobra tudo e todos a seu favor, quem a faz parar é o seu audacioso prisioneiro que ela tenta de tudo para se livrar dele por fim, mas ele não a deixa. De prisioneiro ele vira um perseguidor dela, o que a perturba grandemente e a deixa em conflito.
A família da Finnula é muito excêntrica, apesar de as irmãs dela serem mais comportadas que ela.
Super recomendo a leitura. Se você ama um romance de época doce, com uma mocinha nada indefesa, e que muda a vida de uma cidade inteira em busca de fazer o que julga certo e encontra um homem lindo, maravilhoso que pavoneia sobre ela até conseguir o que deseja – com uma pitadinha de sexo -, você precisa ler esse livro.
Não foi o melhor livro que já li da Meg Cabot, até hoje não consegui ler um que superasse o meu amor pelo A Mediadora, mas amei esse e me diverti muito com a Finn. Espero que ao lerem gostem como eu.
a Rafflecopter giveaway

#Resenha: Liberte meu Coração

Desde que li A Mediadora de Meg Cabot me apaixonei pela escrita da autora e sempre que posso leio um livro dela.
Nesse ela escreve como a Princesa de Genovia, de O Diário da Princesa, e Mia nos envolve em sua escrita cativante de uma mocinha de época muito avançada.
Liberte meu Coração - Escrito pela princesa da Genovia Mia Thermopolis com ajuda de Meg Cabot.
404 páginas - Editora Galera Record
Finnula ou simplesmente Finn é a filha caçula do moleiro de uma cidade pequena na Inglaterra que não se satisfaz como suas outras 5 irmãs em seus afazeres cotidianos como toda boa mulher do século XIII. Ainda quando criança, seu irmão mais velho apresentou a ela o arco e flecha e desde então ela nunca mais o largou, e se tornou a melhor caçadora de toda região, que nunca erra um alvo e usa umas calças de couro tidas por indecorosas para época em que vive.
Como seus pais morreram, seu irmão mais velho toma conta delas, todas as mais velhas já estão casadas, só restando ela e Mellana solteiras.
Tudo ocorre devido a Mellana que gasta todo o seu dote com coisas triviais, como laços e vestidos – eita, menina fútil e que merecia umas boas palmadas, mas não é uma personagem chata, não se preocupem.
Sei que Finnula, a mais forte e atlética delas acaba na enrascada de ter de sequestrar um cavaleiro de fora da cidade para pedir resgate com a finalidade de Mellana usar esse dinheiro devido ao ocorrido com seu dote. Finnula, como é uma boa irmã, sequestra o homem, que julga um qualquer e que tem dinheiro suficiente para que ela tenha um ótimo resgate.
Mas, as coisas não ocorre dessa forma, esse homem não é um qualquer como ela julgava, e desde o início ela sente uma forte atração por ele e vice-versa. Ambos lutam contra esse sentimento, pois nenhum dos dois querem se
emaranhar em um casamento, ainda mais ele que acaba de chegar das cruzadas para tomar conta de suas terras devido a morte de seu pai.
Só que para piorar as coisas, ele logo é “sequestrado” pela mulher mais teimosa que já conheceu, uma mulher que usa calças – e se indigna pela Inglaterra ter mudado tanto, após ele ir para as cruzadas, pois as mulheres antes não caçavam com arco e flecha e nem usavam calças – e logo passa a perceber que suas terras não foram bem administradas por seu primo, e para piorar tudo a morte de seu pai foi um tanto suspeita. Um monte de fatores formam as suspeitas de que alguém matou seu pai e o próximo da lista é ele.


"Que tipo de mundo era este onde estava? Quando, em nome de Deus, donzelas tinham começado a usar calças de couro, a capturar homens adultos e prendê-los para pedir um resgate? Estava longe da Inglaterra fazia muito tempo, ele percebeu, mas era possível que tanta
coisa tivesse mudado durante esses anos? Porque, dez anos antes, adoráveis donzelas coravam ao falar com um estranho. Não tiravam a roupa na frente de um e depois pulavam em suas costas e seguravam uma faca em seu pescoço."

É uma ótima trama, e a leitura é muito divertida. Finnula não é a típica mocinha indefesa, a mulher se quer chora quando enrascada, muito forte e enfrenta a todos, inclusive as autoridades locais. Ela dobra tudo e todos a seu favor, quem a faz parar é o seu audacioso prisioneiro que ela tenta de tudo para se livrar dele por fim, mas ele não a deixa. De prisioneiro ele vira um perseguidor dela, o que a perturba grandemente e a deixa em conflito.
A família da Finnula é muito excêntrica, apesar de as irmãs dela serem mais comportadas que ela.
Super recomendo a leitura. Se você ama um romance de época doce, com uma mocinha nada indefesa, e que muda a vida de uma cidade inteira em busca de fazer o que julga certo e encontra um homem lindo, maravilhoso que pavoneia sobre ela até conseguir o que deseja – com uma pitadinha de sexo -, você precisa ler esse livro.
Não foi o melhor livro que já li da Meg Cabot, até hoje não consegui ler um que superasse o meu amor pelo A Mediadora, mas amei esse e me diverti muito com a Finn. Espero que ao lerem gostem como eu.
a Rafflecopter giveaway

Editoras Parceiras