#Resenha: Cinquenta Tons de Cinza #1/3

Todo mundo sabe do bafafá criado em torno desta trilogia. Eu ainda não tinha lido, e a bem da verdade, não tinha muito interesse nela, ao contrário de outros livros e séries hot.
Mas então veio o lance do filme que não vai demorar para estrear, e eu acabei gostando muito do trailler... Pronto, estava lançada a semente da curiosidade. Aproveitando então uma promoção, acabei comprando o box por R$29,90, e antes que o filme estreie, decidi conhecer Christian Gray e sua Anastasia Steele...
 Cinquenta Tons de Cinza - Vol. 01 da trilogia Cinquenta Tons de Cinza - E. L. James
480 páginas - Editora Intrínseca

Ana, como Anastasia gosta de ser chamada, é estudante de literatura e divide um apartamento com uma amiga. Tímida, é insegura e inocente, chegou aos 21 anos sem nunca ter namorado.
Christian é um jovem bilionário, que aos 4 anos foi adotado por uma família carinhosa e estruturada. Este homem, lindo, inteligente, e extremamente dominador, esconde um passado sombrio e inúmeros fantasmas
O encontro entre eles aconteceu por um acaso, pois Ana estava apenas ajudando sua amiga Kate quando aceitou assumir seu lugar na entrevista para o jornal da faculdade que tinha com Christian.
O que era para ser apenas um ligeiro e único encontro, na verdade foi o início de uma conturbada relação. Ana se vê atraída pelo belo homem, mas vamos combinar, quem não estaria?
Christian por sua vez acaba sendo arrebatado pela timidez e beleza de Ana.
Ambos sabem que estão interessados um pelo outro, e que o caminho natural das coisas seria um namoro. Mas, no dicionário de vida de Christian, as palavras namoro e amor não existem, e Ana acaba sendo apresentada a um mundo novo e totalmente obscuro.
Christian leva o controle além do universo profissional. Ele tem necessidade de dominar tudo e a todos. Seu prazer só existe quando seu domínio é exercido. Ana não está acostumada com isso, aliás, tudo já seria novidade para ela, e estas preferências sexuais de Christian são muito mais do que ela poderia imaginar...
Mas não há como negar a atração que existe entre eles. Christian claramente está tentando algo mais com Ana. Algo que ele nunca imaginou querer...
Acontece que todo o mundo que envolve Christian é demais para esta tímida e simples garota. E mesmo com todo o amor que ela sente por ele, e todo o desejo de fazê-lo ter uma vida mais simples e leve, talvez não seja suficiente para manter este casal junto.
Este é o primeiro livro da trilogia e confesso que estou muito curiosa para saber como tudo vai caminhar e terminar.
Gostei da Ana, apesar de não ter gostado da forma como ela apareceu para Christian. Achei um pouco forçado como a autora escolheu mostrá-la sendo estabanada, insegura e tímida. Apesar de seus medos e incertezas, ela encontrava um modo de enfrentar Christian, o que acabava deixando o diálogo entre eles bem interessantes. Aliás, uma coisa que gostei foram os e-mails que eles trocaram ao longo do livro, dei algumas risadas com os apelidos usados.
Grey é um homem que queremos desvendar. Dá para sentir que ele realmente gosta de Ana, mas também dá para sentir que ele esconde sérios problemas. 
As cenas de sexo? Tem várias... Mas, vou confessar uma coisinha, nenhum fez minha temperatura subir muito, já muitos outros livros onde as cenas em minha opinião eram melhores.
 Já ouvi falar tanto deste livro, mas acho que acabei encarando-o sobre um outro prisma. Aquele lado sadomasoquista e hot tão salientado, acabou ficando em segundo plano. O que realmente me saltou aos olhos foram as partes psicológicas do casal. Ele, um homem apaixonado com marcas profundas em seu passado  e que estava descobrindo o amor.
 Por conta destes traumas ainda não especificados, não sabia como agir e como tratar deste sentimento. Um homem que por conta disso está meio perdido e desesperado com medo de perder a sua amada.  Ela, uma moça que não enxergava a si mesma e que de repente se vê como centro do universo de um homem poderoso. Tendo que escolher entre respeitar a si mesma ou aceitar a imposição do gosto do parceiro.
Algo que me desagradou foi o final do livro, que infelizmente não posso entrar em muitos detalhes. Mas achei que Ana foi infeliz com sua atitude intempestiva. Ela tem todo o direito de não gostar e não querer algo, mas da forma que ela fez, foi como se Christian estivesse impondo algo, em vez de "apresentando" ou "testando" seu modo de vida. Exagerado e desproporcional.
Ah, lendo este volume, entendi o motivo da título, mas apesar de ter entendido e de até gostar do título, não achei justificado. Acho que este pedaço não era necessário.
Antes de terminar, convido vocês a verem o trailer do filme, justamente ele que me chamou atenção e me deixou curiosa com a trilogia.
E vocês, o que viram neste livro?

a Rafflecopter giveaway

14 comentários:

  1. ai 50 tons! eu comecei a leitura com um pé atrás e o outro bem a frente, cheio de animação rsrsr e não me arrependo, Christian e Ana são cuts juntos e desde o principio percebi que a autora queria mais que sexo entre eles
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaila, é verdade, existe muito mais romance do que sexo. O drama e a tensão que eles vivem me prendeu até o fim. Gostei muito. Agora é esperar o filme e eu terminar as outras resenhas dos outros volumes :)
      Bjs, Rose

      Excluir
  2. Oi Rose,
    Quando eu li lembro que devorei ele, mas ainda não conhecia o Gideon de toda sua, nem o Eric de Peça-me o que quiser...kkkk....então eu gostei muito e falava muito dele. Espero que goste dos próximos volumes.

    Beijos Elis - http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga, agora tenho que conhecer este Gideon...kkk
      Gostei dos outros volumes sim, aliás, aprovei a trilogia. Não vejo a hora de ver o filme, pois os atores e principalmente o ator não saia da minha cabeça ao longo da leitura...
      Bjs, Rose

      Excluir
  3. Não consigo gostar desse livro, acho ele muito mal escrito. Para falar a verdade já vi fics bem melhores do que essa, então não entendo porque todo o fuá. Enfim!

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise, acho que ficou por conta do lado sadomasoquismo, mas como eu disse na resenha, não foi isso que me chamou atenção, mas sei que foi por conta disso o sucesso da trilogia.
      Bjs, Rose

      Excluir
  4. Eu continuo sem o menor interesse nessa trilogia...bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não tinha interesse e acabei gostando.
      Bjs, Rose

      Excluir
  5. Confesso que por mais que fiquei com vontade de assistir a adaptação, eu ainda não senti aquela vontade de ler a trilogia 50 tons, mesmo por ser um livro polêmico e tal, eu não me importo com o conteúdo, e só que não chamou a minha atenção. :)

    Bjs bjs bjs Mih!
    Paradise Books || @ParadiseBooksBr || @Mih_Francielle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não tinha interesse nenhum. Uma amiga até tinha me oferecido emprestado na época e eu recusei. O interessante foi que depois que saiu o trailer do filme eu fiquei curiosa, e agora que já li tudo, confesso que gostei.
      Bjs, Rose.

      Excluir
  6. Oi Rose!
    Eu só li 50 tons porque fiquei muito curiosa para saber o motivo do livro ter causado tanto alvoroço. Eu não gostava muito de livros eróticos, mas hoje minha opinião mudou muito. Eu gosto da história, gosto do fato de o amor ser capaz de mudar as pessoas e de curar, é o que acontece com Ana e Christian, mas não gosto da relação de submissão e tb não me atrai histórias com conteúdo BDSM. Estou muito ansiosa pelo filme, e até estou relendo o terceiro da série pra dar uma lembrada.
    Beijos
    Paradise Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla, meu interesse foi por conta do filme mesmo, e assim como você estou ansiosa pelo filme. Foi muito bonito mesmo ver o amor transformar o Christian.
      Bjs, Rose

      Excluir
  7. Rose, vou ler quando tiver oportunidade sabe, por agora não pois tenho leituras que coloquei como prioridade. Gosto desse lado psicológico do livro, mas não me deixa o pensamento de uma cena. Você já leu a história do V. Adaga Negras, não leu? Pois é, penso sempre naquela cena em que a doutora e ele vão conhecer o quartinho restrito dele... Gosto singular!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Põe singular nisso. Este tipo de coisa eu não encaro. Mas se ambos se sentem bem e é de espontânea vontade, que sejam felizes! Quando der leia sim, este lance do psicológico, drama e amor é muito bom.
      Bjs, Rose

      Excluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.