#Resenha Quando Tudo Volta‏

 


Oi Pessoal,
As vezes penso que cada um passa o que tem que passar. Confiram minha análise de Quando Tudo Volta:
Quando Tudo Volta - John Corey Whaley
224 páginas - Editora Novo Conceito

Cullen Witter tem algo em comum comigo, ele admira o irmão mais novo. Eu também admiro os meus dois irmãos, cada um por suas qualidades. Cullen gosta de ficar fora dos holofotes, de passar despercebido, mas as coisas estão prestes a mudar quando seu irmão Gabriel Witter desaparecer sem deixar vestígios, seu primo Oslo ter morrido recentemente, também não ajuda em nada, mesmo que tenha sido por overdose. E um pesquisador pensar ter visto um pica-pau Lázaro em Lily, Arkansas. Onde a família Witter reside, só piora ainda mais a situação.
Como o leitor vê na sinopse, a notícia do famosos pica-pau tirará o foco do desaparecimento de seu irmão e isso o deixará revoltado. Lucas amigo desses dois irmãos vai ficar desestabilizado quando receber a notícia, afinal ele se sente parte da família, nos dias atuais é tão comum isso acontecer e a família nunca mais ver o ente querido que ficamos assustados e preocupados em demasia. Lucas é aquele amigo que podemos contar em todos os momentos, um amigo que desejamos pra vida toda.
Nesses momentos culpamos cada um que pareça suspeito e é difícil conviver sem ter notícias, já que ninguém que é tão amado, pode evaporar no ar. Paralelo a história dos Witter, temos a vida de Cabot, um aluno de faculdade que passa por uma barra, após o colega de quarto ter se suicidado. Os capítulos são intercalados e pela primeira vez eu fiquei um pouco perdida com isso, já que eu lia sobre Cabot e não tinha o minímo de interesse nele, eu estava muito preocupada com o sofrimento do Cullen, de sua família, do Lucas e dos amigos que conheciam eles.
As pessoas agem das formas mais estranhas possíveis, quando algo assim acontece, mas como dizia Cullen eles não precisavam disso, mas as pessoas necessitavam fazer algo por eles. Perto do final da obra entendemos onde essas duas histórias se cruzam. Fiquei pensando em como uma decisão de ajudar alguém as vezes atrapalha a vida de outra pessoa, sem que percebamos. Sei que nessa obra tudo foi o acaso do destino, mas ler algo em que vemos como o ser humano pode ser desequilibrado por coisas fora do comum, deixa qualquer um preocupado.

 "Eu nunca disse a ela a resposta que queria dar, que escolheria qualquer costa onde meu irmão estivesse escondido ou preso em um porão." (pg. 166)

A leitura ficou um pouco densa no início, mas após o desaparecimento de Gabriel queremos saber o que aconteceu e isso faz com que cheguemos ao final rapidamente. Esse livro não entrou para os meus favoritos, mas é com certeza uma boa leitura. Bem tramado para nos fazer pensar, que quando coisas assim acontecem a esperança é a última que morre. E é melhor saber o que houve, do que viver com a dúvida.
Achei interessante o Cullen ter um caderno onde ele escrevia títulos, de história que ele esperava um dia escrever. Afinal um bom título pode fazer a diferença em uma obra, além de para ele ser como um desabafo de tristezas e frustrações.
Aproveitem e confiram o Book Trailer:


Bjus Elis!!!!

 
a Rafflecopter giveaway
 
 

2 comentários:

  1. Gostei da sua resenha, porque mudou um pouco a imagem que eu tinha do livro. Vi umas críticas negativas por aí e já estava desanimada, sabe?
    E que bom saber que as poucas descrições não atrapalharam a imaginação. Adoro visualizar o personagem na minha cabeça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clarice, aconteceu isso comigo também. A visão da Elis foi bem diferente do que eu pensava do livro.
      Bjs, Rose.

      Excluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.