Pérolas do Dia das Mães

 
Tudo começou na terça, dia 06 quando eu vi meus filhos contando as moedas do cofrinho e combinando que presente conseguiriam comprar para mim. Fui até o meu marido e disse para ele dar R$50,00 para as crianças que estavam contando as moedas para me darem um presente. Ele acabou dando R$50,00 para cada um. 
No dia seguinte, meu pretinho chegou e disse:
Mamãe, o papai me deu R$50,00 para comprar o seu presente. Como eu não sei o que você quer, vou te dar o dinheiro e você comprar tá legal? 
- Tudo bem filho, deixa que eu compro.
- Mas depois me dá que eu te entrego no domingo e você faz cara de surpresa.
- Tá bom, combinado.
- Então me mostra sua cara de surpresa.
Cada situação que passamos, mas lá fui eu simular uma cara de surpresa e dizer:
- Nossa filho que lindo, muito obrigada!
- Ai mãe, não pode ser mais entusiasmada e mais surpresa?
- Tá bom, que tal assim:  - Ai filho obrigada, eu queria tanto isso e você acertou em cheio! - Tá bom assim, patrão?
- Bom não tá, mas tá melhor...
- Você não tem coisa melhor pra fazer não moleque?
- No momento não, mas já vou procurar. Não esquece viu? Vai treinando até domingo.

Na quarta comprei uma bolsa para mim e outra para minha mãe na feira que teve na escola dos meninos em homenagem às mães. À noite, contei que já havia comprado tanto o meu como o presente da vovó. Ele disse:
- Com R$50,00 você comprou tudo isso?
- É filho, o milagre da multiplicação.
- E o troco?
- Que troco garoto? Comprei dois presentes e você quer troco?
- Na verdade eu queria sim.
Nisso minha irmã entra e diz para minha mãe que já comprou o celular dela e que entregaria no dia seguinte. Depois vira para o Cauê e diz:
- E o meu presente, já comprou?
- No momento estou desprovido de grana, por isso não vou poder te dar nada madrinha.
- Como assim? Eu vou ficar sem presente?
- Culpa da mamãe! Eu dei R$50,00 para ela comprar o presente dela e me dar o troco. Ela comprou o dela e o da vovó e não sobrou nada!
- Então você ia comprar o meu presente com o troco da sua mãe?
- É, tipo isso.
- E o da vovó, você não ia comprar?
- Eu ia colocar o meu nome junto do seu e ganhar fama.
- Não tem vergonha de ser cara de pau?
- Ué, eu não trabalho, tenho que me virar como posso...
Juro que eu queria saber de onde eles tiram estas coisas, e acreditem, ele realmente entregou o celular como se tivesse comprado, na maior cara de pau!

No domingo quando acordei, as crianças me entregaram a bolsa, os cartões feitos na escola, deram beijos, abraços e tudo mais. Minha mãe já estava acordada e estava guardando um amostra de perfume, aquelas que vem em um vidrinho pequeno e fino, que minha irmã tinha dado para ela no dia anterior quando voltou da manicure, onde tinha ganho a lembrançinha. Quando meu sobrinho que havia dormido em casa viu os meninos me dando os presentes e não tinha nenhum, correu até minha mãe, pegou o vidrinho, colocou no papel de presente e correu para me entregar:
- Olha madrinha, eu também tenho um presente para você!
- Obrigada meu anjo, adorei!
Fingindo que não percebi a tática do moleque.

Mais tarde quando a mãe dele chegou com o marido para irmos todos almoçar fora, meus filhos entregaram o presente dela. Novamente sem ter nada para dar, o Thiago correu até o meu quarto, pegou o mesmo presente que tinha me dado e foi entregar para mãe dele. No caminho encontrou o coração que o Gabriel me deu na festa do dia das mães e me entregou dizendo que tinha feito para mim. É gente, estes anjos aqui de casa tem a cara de peroba mesmo. Eu e minha mãe caímos na gargalhada e minha irmã ainda não tinha entendido nada. Na sequência ele solta para o meu pai:
- É vovô, eu não tinha nada para dar de presente, mas me virei...
para aguentar um troço deste, minha gente?

Depois do almoço, compramos duas tortas para cantarmos parabéns para o Thiago, pois no dia 08 tinha sido o aniversário dele, e como não moramos perto e meus filhos estavam em semana de prova, não fomos na casa dele cantar o parabéns. Chegamos em casa, arrumamos a mesa e começamos a fazer pressão nele sobre o primeiro pedaço. O pai dele disse que tinha 10 figurinha da copa no bolso para dar. Meu marido (que mentiu), disse que tinha 15. Minha irmã (não a mãe dele) falou que dava os 10 pacotes que ela tinha, detalhe, estes pacotes eram dos meus filhos. Era uma gritaria danada em casa, todos prometendo alguma coisa para ganhar o primeiro pedaço. Eu  apenas falo:
- Tico, eu não tenho figurinha, mas eu te amo viu?
- Eu sei tia Meire, mas eu preciso de figurinha...
- Esqueceu que você é meu sobrinho favorito? (Essa é uma frase que eu e ele usamos quando queremos que o outro faça alguma coisa para gente. Quando é ele que fala, ele diz que eu sou a tia favorita dele)
Minha irmã, mãe dele disse:
- Você é o único sobrinho dela filho.
- Mentira neném, sua mãe quer que a gente brigue. (Na verdade ele é mesmo meu único sobrinho de sangue, pois a Natália e a Karol que também chamo de sobrinhas, são na verdade do meu marido.) - Além do mais, você também é meu afilhado preferido.
 - Também é o único que ela tem! (Não sei porquê este povo não cala a boca. Ele também é meu único afilhado.)
No meio de toda esta confusão, o guri já com a espátula para cortar o bolo grita:
- Chegaaaaa! Cala a boca todo mundo, senão não vai ter p#*%$ de primeiro pedaço nenhum!!!!!
Caraca, não é mesmo que ele falou este palavrão! Não aguentamos e caímos na risada. Enfim ele cortou o bolo e o primeiro pedaço foi para minha irmã que mostrou os 10 pacotes de figurinha. Acontece que com isso, meus filhos ficaram bravos com ela, pois os pacotes eram deles. Lá foi minha outra irmã conversar com eles. Nisso, o Tico, filho dela, começa a revirar a casa procurando a bolsa da mãe. Quando está tudo contornado, pois elas iriam sair para comprar figurinhas para eles, meu sobrinho entra no quarto e entrega para meu filho uma nota de R$50,00 que pegou na bolsa da mãe dele:
- Tô Biel, pode comprar suas figurinha...
Minha irmã vem do quarto rindo e chorando ao mesmo tempo:
- Ai que eu vou ter um ataque do coração...
- Que foi guria, tá doida?
- O Thiago pegou R$50,00 na minha bolsa e deu pros meninos comprarem figurinha.
Eu rindo disse:
- Toma tonta, não foi você que disse que acha tão bonita a união deles? Vai agora, olha a união ai...
- Era o único dinheiro que eu tinha na carteira.
- Não quero nem saber...
E todo mundo rindo dela. Mas meu filhotinho lindo veio e disse:
- Toma tia o seu dinheiro...
- Não filho, tudo bem.
- Não tia, eu sei que o Tico pegou sem você saber.
Tão fofo este meu filho. No fim foram todos comprar as benditas figurinhas da copa.
É gente, vocês devem achar que eu tenho uma família de doidos, mas acreditem, tenho mesmo. Não é a toa que na entrada de casa tem esta placa:

Como dizem por aí, se cobrir é circo se cercar é hospício... No meu caso, são os dois... Mas que eu rio com estas coisas, ah eu rio...


a Rafflecopter giveaway

1 comentários:

  1. Olha essas crianças!!!! Me diverti muito com isso kkkkk

    ResponderExcluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.