#Resenha A Outra Face - História de uma Garota Afegã

Este ano, o tema para o 9° ano na escola do meu filho mais velho é sobre paz, e entre os livros de leitura escolhidos para os alunos lerem, está este que hoje conto um pouco para vocês. Espero que gostem!
A Outra Face -  História de uma Garota Afegã - Deborah Ellis
124 páginas - Editora Ática
Parvana é uma afegã de onze anos que sempre conviveu com a guerra. Filha de um professor de História e de uma escritora, vivia confortavelmente com seus pais e irmãos até que a casa foi bombardeada.
Desde então a família vive mudando conforme onde moram vai sendo bombardeado. Levam apenas o que podem o que a cada mudança ficava ainda menor.
Agora com Cabul sendo governado pelos Talibãs, as coisas estão bem complicadas. Todas as mulheres, mesmo as crianças, foram proibidas de saírem de casa. Quando isso acontecer, precisam estar na companhia de algum homem da família e estarem cobertas com as burcas (peça do vestuário feminino das muçulmanas, principalmente as afegãs, e que cobre todo o corpo, o cabelo e o rosto). As mulheres que trabalhavam acabaram perdendo os empregos e as meninas não vão mais às escolas. Se alguma mulher for pega sozinha, ou mesmo sem a burca, pode levar surras, chicotadas ou ser morta. Música e livros também foram proibidos, e quem for pego com algum deles pode até morrer.
A população vivia aterrorizada, principalmente as mulheres. Pavana e sua família sobreviviam com o que seu pai conseguia vender no mercado de Cabul. Eram em geral objetos da própria família. Fora isso, ele também oferecia serviço de leitura e escrita, pois a maioria dos afegãs eram analfabetos.
A situação de sua família, que já era precária, piorou quando seu pai foi preso pelos Talibãs sem grandes explicações. Como nem a mãe, nem Parvana ou as irmãs não podiam sair de casa, e o único homem da casa tinha apenas dois anos, a família teve que improvisar.
Com a ajuda de uma amiga de sua mãe, Parvana tomou para si a tarefa não só de conseguir dinheiro como de comprar comida. Estava nas mãos da pequena e corajosa Parvana a sobrevivência de sua família.
Mesmo morrendo de medo de ser pega pelos talibãs, Parvana seguiu em frente, e mesmo com todas as dificuldades e perigos, a menina ainda construía sonhos, entre eles a de um mundo onde pudesse viver em paz com sua família. Família esta, que mais uma vez teria que enfrentar outros dramas causados pela interminável guerra.
Uma leitura muito boa onde podemos conhecer um pouco da vida das mulheres afegãs, se é que podemos chamar de vida a pessoa ficar presa em casa sem poder sair... Apesar do tema, a leitura não é traumática ou coisa do gênero, talvez por conta do público alvo.  Leitura recomendada.

46 comentários:

  1. Oi Rose! Maravilhosa essa história, gostei muito. Já li alguns livros com essa temática, três livros diferentes sobre Malala, O caçador de Pipas, Persépolis, A cidade do sol, O livreiro de Cabul, A terceira xícara de chá.... Esse já está entrando agora na minha lista. Obrigada pela dica. Viva a escola de seu filho, maravilhoso para enriquecer a empatia dos adolescentes. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nara e eu agradeço você pelas dicas de leitura. Vou dar uma olhada nelas.
      Bjs

      Excluir
  2. oi Rose, que interessante! a guerra que ainda assola aquela região e o papel da mulher naquele país ainda requerem muita análise e intervenção, possibilitar a discussão da temática por meio da literatura é demais!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Thaila. Uma pena ver que lá a mulher é menos do que nada.
      Bjs

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Há muito tenho evitado livros com tematica sobre guerras, é muito sofrimento, e fora que a maioria são baseados em fatos reais.
    Então eu pulo a dica dessa vez, um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem mesmo como não ficar com o coração apertado com enredos do tipo.
      Bjs

      Excluir
  4. Olá,
    Desconhecia o livro, mas me fez lembrar de A cidade do sol e O caçador de pipas por causa do levantamento sobre o Talibã.
    Achei um livro bem interessante para ser inserido como leitura na escola e já anotei a dica também para conhecer um pouco mais da mulher afegã e entender um pouco da história.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de conhecer os livros que você citou, não os li ainda para poder comparar.
      Bjs

      Excluir
  5. oi,Rose...mais uma dica interessante que pego por aqui...gosto demais de livros ambientados no Oriente médio, e esse poderia ser usado em minhas aulas tbm... vou tentar comprar um exemplar pra mim...
    bjs <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, este eu consegui em uma troca pelo Skoob.
      Bjs

      Excluir
  6. Oiii ROse, tudo bem querida?
    Que dica é essa menina? Gosto de ambientes assim igual os personagens vivem, com toda certeza quero comprar e ler, sua resenha soube me convencer.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgs, que bom. Espero que leia e goste.
      Bjs

      Excluir
  7. Oie Rose, tudo bem?

    Confesso que fujo de livros com esse tema. Mas depois de ler sua resenha, fiquei com muita vontade de ler esse pois a história me parece ser bem interessante.

    Beijos,Lu
    Blog: Apaixonada por Romances “A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim.”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar das tristeza dos fatos, não é um enredo com carga tão pesada. Achei que seria mais.
      Bjs

      Excluir
  8. Oiii
    Desde que li "A cidade do Sol" e "O livreiro de Cabul" fiquei encantada com a narrativa e a vida das mulheres afegãs.
    Já anotei a dica!
    Bjoo

    ResponderExcluir
  9. Oie amore,
    Esse gênero de livro não me atrai pra ser bem sincera. Concordo que parece se tratar de um livro cheio de conhecimentos acerca das mulheres afegãs, mas não me interessa no momento. Passo a dica adiante!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo Grazi, e agradeço pelo comentário.
      Bjs

      Excluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu fujo um pouco de livros com essa temática, porque imagino ser uma leitura muito sofrida. Não consigo nem imaginar como é a vida das mulheres e crianças em lugares como o Afeganistão. Mas como você disse que essa não é uma leitura traumática, até por ser voltada para o público mais jovem, acho que vou tentar ler.
    De qualquer forma, acho muito legal que este tema seja abordado nas escolas.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou Maria, apesar de conhecermos fatos tristes e verdadeiros, não achei o enredo pesado.
      Bjs

      Excluir
  11. Que história! Eu gosto muito de histórias que se passam no oriente médio. Gosto, principalmente, das que focam na vida das mulheres e crianças, que são as que mais sofrem com a guerra a opressão. Que bom saber que na escola do seu filho vão trabalhar um tema tão caro para toda a humanidade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o tema é Escola da paz, e os livros adotados são todos desta temática.
      Bjs

      Excluir
  12. Eu não conhecia o livro mas parece ser uma leitura que nos proporciona um grande aprendizado de cultura, achei o enredo muito interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou dizer que aprendemos tudo, mas temos uma boa ideia dos dramas.
      Bjs

      Excluir
  13. Oi, muito legal a sua resenha, mas confesso que não me chamou a atenção para querer ler, mas sei que muitos irão gostar, é uma ótima dica

    ResponderExcluir
  14. Olá Rose, tudo bem?

    Adorei a sua resenha, confesso que a obra me despertou interesse, parece ser uma grande história e uma boa oportunidade para conhecer parte da cultura. Adorei!
    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, conhecemos alguns tristes costumes.
      Bjs

      Excluir
  15. Oi Rose, tudo bem?
    Alguém comentou comigo sobre esse livro, mas ainda não tinha visto a capa dele. Confesso que fiquei bastante curiosa sobre a leitura, sua resenha ficou ótima e vou adicionar à minha lista de leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Sophia, espero que goste.
      Bjs

      Excluir
  16. Que temática adorável e necessária que a escola adotou, né? Também apreciei o livro escolhido. Sobre a leitura ser traumática ou coisa do gênero, depende de quem lê, veja, se o adolescente tem uma vivência traumática em casa, talvez de violência doméstica, a leitura pode causar algum impacto, por isso que a escola precisa de um corpo pedagógico. Bom, mas não é sobre isso a resenha, eu adorei o livro e estou encantada com essa escola de seu filho, traz mais coisa , menina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lilian,eu estou muito satisfeita com a escola deles, e não só por contas destas leituras. Vou tentar trazer resenhas dos outros livros escolhidos, pode deixar.
      Bjs

      Excluir
  17. Fiquei super curiosa para saber mais dessa história, apesar de seu um livro paradidatico, amei a premissa e queria muito saber como ela vai fazer para conseguir sustentar a família. Adorei a resenha, bjs

    www.livrosemretalhos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ficava com o coração na mão toda vez que ela saía de casa.
      Bjs

      Excluir
  18. Olá!!! Fiquei muuuito curiosa para ler o livro. Um tema que sempre me chama atenção. Sua resenha ficou ótima. Já anotada a indicação, bjoooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lorena, espero que leia e goste.
      Bjs

      Excluir
  19. Rose!
    Tão importante as escolas trazerem, ao invés dos antigos clássicos, livro como esse, que mostram a realidade dos países em guerra, sua cultura e forma de viver, bem como mostrar que a paz é a melhor solução para tudo.
    Gostei demais.
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho Rudy, e estou gostando muito dos livros escolhidos.
      Bjs

      Excluir
  20. Eu não gosto muito de livros com essa temática, sabe? Eu sou muito sensível. Mas acredito que quando a gente passa a conhecer outras culturas e realidades, a gente tende a valorizar coisas tão simples que antes passavam despercebidas como por exemplo a nossa liberdade de expressão, o fato de lermos o livro que quisermos, termos certa liberdade de sair às ruas, de verstir o quisermos, além do privilégio de estudo e trabalho. Enfim... Essas histórias nos fazem refletir bastante. Amei sua resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi MISS, sem dúvida que livros com este teor nos fazem ver o quanto somos privilegiados.
      Bjs

      Excluir
  21. Apesar de pesada acho que a leitura é muito boa, parece dolorosa mas importante, fiquei curiosa em ler, saber mais da escrita, sentir o que tu sentiu lendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paac, é uma leitura ótima mesmo, leia se puder.
      Bjs

      Excluir
  22. Oi, tudo bem?
    O tema do livro é importante, mas confesso que não faria a leitura, pelo menos no momento.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angélica, sim, o tema é muito importante, uma pena que não tenha te interessado.
      Bjs

      Excluir
  23. Olá!
    Achei uma leitura extremamente interessante de ser feita, ainda mais por causa de todo esse contexto de vida árabe. Acho que no momento não faria, mas com certeza vou deixar a dica anotada para ler em breve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando for ler espero que goste.
      Bjs

      Excluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.