#Resenha Depois de Auschwitz

Oi amigos, hoje venho com a resenha de um livro que mexe com nossas emoções. O livro foi escolhido para um dos meus desafios literários, e convido a todos a conhecê-lo.
Depois de Auschwitz - Eva Schloss
325 páginas - Editora Universo dos Livros
O livro é um depoimento forte e emocionado de Eva Schloss sobre sua sobrevivência do Holocausto. Acompanhamos Eva e sua família desde seu nascimento.
Ela fala como era sua vida em Viena e de como eles fugiram para Holanda quando as coisas começaram a complicar. Narra a época em que precisaram se separar para se esconderem e como foram denunciados aos nazistas, o que causou a ida da família para Auschwitz.
Os dias de medo, frio, fome, dor e incerteza que passou no mais famoso campo de extermínio nazista, a alegria do resgate e a incerteza da volta e o difícil recomeço de uma vida que lhe foi roubada, é narrada ao longo do livro. 
Eva e sua família foi presa no seu 15° aniversário. Ela nem teve tempo de tomar o café da manhã especial que ganhou. Era 1° de maio de 1944, e sua vida nunca mais foi a mesma.
Levados como gado para Auschwitz, como todos os judeus eram tratados na época, Eva narra como foram os anos em que passou ao lado da mãe sem saber quando seria seu último suspiro. A coragem e a determinação de manter-se viva, a transformação de sua mãe, seu único porto seguro no meio de tanta incerteza.
É notório como a perda do pai e do irmão são as maiores tristezas de Eva, e que sua volta a "vida normal" não foi fácil. Ela não pertencia a nenhum lugar, e até a relação com sua mãe ficou complicada. Ela estava tentando encontrar a si mesma.
Eva também conta como seu caminho cruzou com Anne Frank e posteriormente com Otto Frank, pai de Anne e que veio a ser padrasto depois. Otto aliás, foi uma pessoa importante na reconstrução da vida de Eva e sua mãe, e o trabalho feito junto à Fundação Anne Frank fundamental para esta sequência.
Uma história de vida, luta e sonhos. Uma vida cujo o preconceito e a ignorância tentaram matar, assim como mataram tantas outras durante a 2° Guerra Mundial. Um terror que ela combate até hoje para que nunca mais se repita. Uma leitura forte, preciosa e importante. Leia, mas separe os lenços.

No final do livro há um material fotográfico: 
Eva Schloss aos 17 anos
Eva com a mãe Mutti e o irmão Heinz
Eva em seu casamento com Zvi em Amsterdã em 1952
Otto com Mutti e as netas, filhas de Eva

Também separei uma entrevista que achei na Internet da Eva:

Esta resenha faz parte do meu Desafio Literário Skoob 2019, onde no mês de janeiro foi pedido uma leitura que tenha o preconceito como tema.

#Resenha Depois de Auschwitz

Oi amigos, hoje venho com a resenha de um livro que mexe com nossas emoções. O livro foi escolhido para um dos meus desafios literários, e convido a todos a conhecê-lo.
Depois de Auschwitz - Eva Schloss
325 páginas - Editora Universo dos Livros
O livro é um depoimento forte e emocionado de Eva Schloss sobre sua sobrevivência do Holocausto. Acompanhamos Eva e sua família desde seu nascimento.
Ela fala como era sua vida em Viena e de como eles fugiram para Holanda quando as coisas começaram a complicar. Narra a época em que precisaram se separar para se esconderem e como foram denunciados aos nazistas, o que causou a ida da família para Auschwitz.
Os dias de medo, frio, fome, dor e incerteza que passou no mais famoso campo de extermínio nazista, a alegria do resgate e a incerteza da volta e o difícil recomeço de uma vida que lhe foi roubada, é narrada ao longo do livro. 
Eva e sua família foi presa no seu 15° aniversário. Ela nem teve tempo de tomar o café da manhã especial que ganhou. Era 1° de maio de 1944, e sua vida nunca mais foi a mesma.
Levados como gado para Auschwitz, como todos os judeus eram tratados na época, Eva narra como foram os anos em que passou ao lado da mãe sem saber quando seria seu último suspiro. A coragem e a determinação de manter-se viva, a transformação de sua mãe, seu único porto seguro no meio de tanta incerteza.
É notório como a perda do pai e do irmão são as maiores tristezas de Eva, e que sua volta a "vida normal" não foi fácil. Ela não pertencia a nenhum lugar, e até a relação com sua mãe ficou complicada. Ela estava tentando encontrar a si mesma.
Eva também conta como seu caminho cruzou com Anne Frank e posteriormente com Otto Frank, pai de Anne e que veio a ser padrasto depois. Otto aliás, foi uma pessoa importante na reconstrução da vida de Eva e sua mãe, e o trabalho feito junto à Fundação Anne Frank fundamental para esta sequência.
Uma história de vida, luta e sonhos. Uma vida cujo o preconceito e a ignorância tentaram matar, assim como mataram tantas outras durante a 2° Guerra Mundial. Um terror que ela combate até hoje para que nunca mais se repita. Uma leitura forte, preciosa e importante. Leia, mas separe os lenços.

No final do livro há um material fotográfico: 
Eva Schloss aos 17 anos
Eva com a mãe Mutti e o irmão Heinz
Eva em seu casamento com Zvi em Amsterdã em 1952
Otto com Mutti e as netas, filhas de Eva

Também separei uma entrevista que achei na Internet da Eva:

Esta resenha faz parte do meu Desafio Literário Skoob 2019, onde no mês de janeiro foi pedido uma leitura que tenha o preconceito como tema.

Editoras Parceiras