#Resenha A Busca #3

Oi amigos, seguindo com mais um livro da Lisa Kleypas, hoje tenho para vocês a continuação da série dela se romance contemporâneo. Vamos lá?
A Busca - #3 série The Travis Family - Lisa Kleypas
288 páginas - Editora Gutenberg
Hannah Varner não teve uma infância fácil. Viver com a mãe era a mesma coisa que viver em um campo minado. Não que a mãe lhe batia, os abusos eram psicológicos mesmo. Agora, adulta, ela mantinha-se o mais afastada possível, tanto da mãe, quanto da irmã. Ela estava cansada de resolver os problemas que as duas criavam.
Mas isso não impediu que ela corresse para resgatar o pequeno Luke, um bebê recém nascido que sua irmã, Tara, abandonara com a mãe delas.
Para assumir esta responsabilidade, ela acabou abrindo mão de seu relacionamento de 4 anos com Dane, um defensor do meio ambiente que não desejava filhos e nem relacionamentos sérios. E ao contrário do que possam pensar, para Hannah isso era ótimo, pois ela não queria filhos e não acreditava em casamentos. Isso tudo fruto de sua infância traumática.
Mas isso não iria impedi-la de fazer o que era certo e de lutar pelos direito de Luke, coisa que ninguém parecia se importar. Para isso, precisaria descobrir quem era o pai dele. Coisa nada fácil, visto que sua irmã não levava uma vida tão celibatária assim.
Através de pistas, ela chegou a Jack Travis, um milionário, membro da mais poderosa família do Texas. Ele poderia ser o pai de Luke.
Ao procurá-lo para falar a respeito da provável paternidade, ela conheceu o tipo de homem de quem ela correra a vida toda. O tipo de homem que a fazia se sentir segura e confortável ao lado de Dane. Mas ela encontrou também um homem que conseguia ser atencioso e delicado, e que estendia a mão a quem precisava de ajuda, mesmo que ele não fosse obrigado a ajudar.
Sozinha, e tendo que se adaptar a rotina de criar um bebê, a ajuda de Jack foi muito bem vinda, o que facilitou que os dois se conhecessem melhor.
E mesmo com tantas coisas diferentes, foi inevitável barrar o interesse recíproco que crescia entre eles. Mesmo assim Hannah tentou. Mas ela não era páreo para a força de Jack.
A situação de Hannah era instável, o que a deixava desconfortável. Cada dia que passava ela se apegava mais ao pequeno Luke, o que contrariava todas as suas resoluções de nunca ter filhos, e também a afastava ainda mais de Dane, de quem não teve apoio nenhum. Na outra ponta, Jack se fazia mais presente e deixava claro o que queria.
O tempo estava se esgotando, e o medo de se machucar estava paralisando Hannah. Ela estava prestes a perder tudo, por conta de seus fantasmas. A vida não pode ser vivida pela metade, e diante de um grave acidente, Hannah percebe que pode ter deixado a felicidade escapar pelos seus dedos.
É tão engraçado você ler em sequência dois trabalhos da mesma autora e perceber que apesar de gêneros tão diferentes relatos em suas séries, um de época e outro contemporâneo, ela continua com seu talento ímpar em criar enredos envolventes e personagens cativantes. Hannah e Jack são encantadores em seu jeito de ser. Mesmo com tantos traumas, Hannah é uma moça forte e nem se dá conta disso. Jack já tem total conhecimento de sua força, e nem por isso abusa dele. Achei lindo a forma como ele tomou para si os cuidados de Hannah e Luke. Impossível não entregar o coração para ele. Eu entreguei o meu leia e entregue o seu você também.

Perdeu as resenhas dos livros anteriores? Então clique abaixo e leia!
#1 A Protegida
#2 A Redenção

#Resenha A Busca #3

Oi amigos, seguindo com mais um livro da Lisa Kleypas, hoje tenho para vocês a continuação da série dela se romance contemporâneo. Vamos lá?
A Busca - #3 série The Travis Family - Lisa Kleypas
288 páginas - Editora Gutenberg
Hannah Varner não teve uma infância fácil. Viver com a mãe era a mesma coisa que viver em um campo minado. Não que a mãe lhe batia, os abusos eram psicológicos mesmo. Agora, adulta, ela mantinha-se o mais afastada possível, tanto da mãe, quanto da irmã. Ela estava cansada de resolver os problemas que as duas criavam.
Mas isso não impediu que ela corresse para resgatar o pequeno Luke, um bebê recém nascido que sua irmã, Tara, abandonara com a mãe delas.
Para assumir esta responsabilidade, ela acabou abrindo mão de seu relacionamento de 4 anos com Dane, um defensor do meio ambiente que não desejava filhos e nem relacionamentos sérios. E ao contrário do que possam pensar, para Hannah isso era ótimo, pois ela não queria filhos e não acreditava em casamentos. Isso tudo fruto de sua infância traumática.
Mas isso não iria impedi-la de fazer o que era certo e de lutar pelos direito de Luke, coisa que ninguém parecia se importar. Para isso, precisaria descobrir quem era o pai dele. Coisa nada fácil, visto que sua irmã não levava uma vida tão celibatária assim.
Através de pistas, ela chegou a Jack Travis, um milionário, membro da mais poderosa família do Texas. Ele poderia ser o pai de Luke.
Ao procurá-lo para falar a respeito da provável paternidade, ela conheceu o tipo de homem de quem ela correra a vida toda. O tipo de homem que a fazia se sentir segura e confortável ao lado de Dane. Mas ela encontrou também um homem que conseguia ser atencioso e delicado, e que estendia a mão a quem precisava de ajuda, mesmo que ele não fosse obrigado a ajudar.
Sozinha, e tendo que se adaptar a rotina de criar um bebê, a ajuda de Jack foi muito bem vinda, o que facilitou que os dois se conhecessem melhor.
E mesmo com tantas coisas diferentes, foi inevitável barrar o interesse recíproco que crescia entre eles. Mesmo assim Hannah tentou. Mas ela não era páreo para a força de Jack.
A situação de Hannah era instável, o que a deixava desconfortável. Cada dia que passava ela se apegava mais ao pequeno Luke, o que contrariava todas as suas resoluções de nunca ter filhos, e também a afastava ainda mais de Dane, de quem não teve apoio nenhum. Na outra ponta, Jack se fazia mais presente e deixava claro o que queria.
O tempo estava se esgotando, e o medo de se machucar estava paralisando Hannah. Ela estava prestes a perder tudo, por conta de seus fantasmas. A vida não pode ser vivida pela metade, e diante de um grave acidente, Hannah percebe que pode ter deixado a felicidade escapar pelos seus dedos.
É tão engraçado você ler em sequência dois trabalhos da mesma autora e perceber que apesar de gêneros tão diferentes relatos em suas séries, um de época e outro contemporâneo, ela continua com seu talento ímpar em criar enredos envolventes e personagens cativantes. Hannah e Jack são encantadores em seu jeito de ser. Mesmo com tantos traumas, Hannah é uma moça forte e nem se dá conta disso. Jack já tem total conhecimento de sua força, e nem por isso abusa dele. Achei lindo a forma como ele tomou para si os cuidados de Hannah e Luke. Impossível não entregar o coração para ele. Eu entreguei o meu leia e entregue o seu você também.

Perdeu as resenhas dos livros anteriores? Então clique abaixo e leia!
#1 A Protegida
#2 A Redenção

Editoras Parceiras