#Resenha Sejamos Todos Feministas

Procurando uma leitura rápida e de qualidade? Apresento a vocês Sejamos Todos Feministas.
Sejamos Todos Feministas - Chimamanda Ngozi Adichie
46 páginas - Editora Companhia das Letras
Sejamos Todos Feministas é um ensaio, uma adaptação do discurso que a autora fez no TEDx Euston. Nascida na cidade de Enugu, Nigéria, em 2014 foi eleita como uma dos 39 escritores mais importantes com idade inferior a 40 anos, sendo que em 2010 ela já constava na lista dos 20 autores de ficção mais influentes com menos de 40 anos. Como podem ver, seu currículo não é de se jogar fora...
Mas o que vem a ser este ensaio? Vamos primeiro definir o que vem a ser a palavra "Feminismo": "é um movimento social e político que tem como objetivo conquistar o acesso a direitos iguais entre homens e mulheres e que existe desde o século XIX." 
O que acompanhamos ao longo das 46 páginas são ideias e experiências de Adichie em relação a ser mulher, o que vem a ser feminista. Esqueçam aquele esterótipo de mulheres duronas ou as radicais que acham que tudo é culpa dos homens. Para ela, não basta apenas lutar pela igualdade entre homens e mulheres, a questão é mais do que isso e eu concordo plenamente.
O problema não é só o fato de mulher ganhar menos ocupando a mesma função, ou a acumulação de tarefas domésticas ou qualquer dos vários problemas que estamos cansadas se saber. Isso vem desde a educação, quando "meninos" e "meninas" aprendem suas posições, direitos e deveres no mundo. É aqui, neste exato ponto que ela me conquistou de vez, pois penso exatamente a mesma coisa que ela.
Nós mulheres já somos criadas para sermos servis aos homens. Enquanto eles aprendem a brincar de bola, correr na rua, aprendemos a brincar de casinha, fazer comidinha...
Isso até me lembrou um fato engraçado, quando minha irmã estes dias foi comprar um presente para a filha de uma amiga nossa e a vendedora deu como exemplo de presente aqueles famosos jogos de panelas. Minha irmã na hora rejeitou falando que não ia ensinar a menina desde cedo a se contentar em esquentar a barriga no fogão... rsrsrsrs
Aliás, aprender a cozinhar é bom para a vida prática e útil de um menino - nunca vi sentido em deixar na mão de terceiros uma coisa tão crucial como a capacidade de se nutrir.
Mas é justamente isso que acontece, se fomos ver a realidade. Não precisamos ir longe, basta olhar ao redor e verificar. Nossas crianças são educadas assim. E se educamos assim, eles crescem assim, ou seja, é um círculo vicioso sem fim.
O feminismo não é apenas a luta de direitos iguais entre os gêneros, é a garantia que uma mulher tem de poder ser ou fazer o que quiser, sem ter que dar tantas explicações. A mesma garantia que um homem tem desde que nasce. Por que temos de ser menos, ou pensar menor se temos as mesmas capacidades? Por que ser dona de casa tem que ser uma imposição? Ou por que eu não posso livremente escolher ser uma dona de casa? Sim, porquê até isso é julgado! Muitas mulheres veem com maus olhos quando outra mulher decide não seguir uma carreira e ficar em casa cuidando dos filhos e marido. Isso é uma escolha de cada um, ou melhor, cada uma! É a mulher quem tem que decidir o que é melhor para ela. Por que um homem pode andar sem camisa sem correr o risco de ser violentado e uma mulher com roupa curta é chamariz para estupros? 
Tudo é uma questão de respeito ao próximo, seja ele do sexo masculino ou feminino. Para que isso ocorra, não basta só que as mulheres reclamem, apontem, é preciso uma união entre homens e mulheres, uma mudança de comportamento e atitudes. Isso fica mais do que claro enquanto lemos e refletimos.
A cultura não faz as pessoas. As pessoas fazem a cultura. Se uma humanidade inteira de mulheres não faz parte da nossa cultura, então temos que mudar nossa cultura.
As 46 páginas são poucas, na verdade, míseras diante de um debate tão extenso, mas são suficientes para expor a ideia, de plantar a semente e de levar para sociedade uma grande gama de reflexões. Vamos começar ao nosso redor, com nossos filhos, e de grão em grão, estendendo estas pequenas e significativas mudanças. 
Eu, confesso já estou fazendo a minha parte com meus dois filhos, e aos pouquinhos consigo ver as chamas das mudanças. É pouco? Sim, é pouco! Mas se juntarmos os meus filhos, com os dos vizinhos, com os amigos deles, com os seus filhos, sobrinhos... a mudança só tem a crescer... #sejamostodasfeministas
Consegui encontrar na internet o discurso dela, então, caso não queiram ler o livro, podem pelo menos ouvir do que estou falando...
a Rafflecopter giveaway

57 comentários:

  1. Olá, Rose.
    Sejamos todos feministas é um livro que eu adoro. Ele tem uma linguagem simples, mas conteúdo poderoso. A forma como a autora fala de respeito ao próximo, igualdade e feminismo é maravilhosa.
    Uma leitura mais do que recomendada.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Marcos. Estava louca para ler e já tem um bom tempo, felizmente agra consegui.
      Bjs!

      Excluir
  2. mais do que nunca esse assunto volta para discussão... pela sua resenha é um texto extremamente reflexivo e que propicia um engaje com a luta pelo respeito que é isso que se espera: respeito para poder sair com a roupa que quiser para onde quiser, respeito pela integridade fisica e emocional
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaila, sim, e demonstra claramente que é preciso ensinar desde cedo o respeito.
      Bjs!

      Excluir
  3. Oi, Rose.
    Confesso que ficarei só com o vídeo.
    Não me animo a ler o livro não... Não que eu não concorde com o que ela diz ou coisa parecida, é só falta de tempo mesmo! Parece que ela é uma pessoa lúcida, com ideias coerentes, e não como essas mentes moles que temos visto por aí, defendendo um pseudo-feminismo burro!
    Beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camis, não é mesmo. Veja sim o vídeo, você vai concordar com ela.
      Bjs!

      Excluir
  4. Olá.
    Eu concordo em grande parte do feminismo, mas nunca exponho que sou feminista por esses seres acéfalos que não entende ao certo o verdadeiro significado no movimento.
    Tenho uma afilhada/sobrinha à quem eu vou ensinar desde cedo o real sentido de feminismo e não vou incentivar a ser dona de casa, só quando ela for maior e ter consciência de tudo que eu vou explicar corretamente e ela quem vai escolher o que quiser ser. Se eu tiver filhos, irei fazer o mesmo e para os meus possíveis futuros alunos, a mesma coisa.
    Acredito sim, ainda no futuro da humanidade, por esses pequenos fatos que ocorrem. Um exemplo foi que tive essa semana mesmo. Então, podemos sim mudar. É só querermos e persistirmos nisso. Mas no ato correto.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milena, cada semente plantada é um passo para a mudança.
      Bjs!

      Excluir
  5. Olá Rose
    Eu não sabia que tinha poucas páginas, mas por mais que seja uma leitura rápida, é marcante e complexa, e tenho a certeza de que é de qualidade também. Só leio comentários positivos a respeito dessa obra e gostei bastante de sua resenha, especialmente por ressaltar os destaques e me motivar a querer fazer essa leitura.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fer, quando peguei também não tinha reparado que era tão curtinho.
      Bjs!

      Excluir
  6. confesso que não vi o discurso por justtamentte querer ler a obra... e já que é tão curtinha, vale a pena ter em casa, passar em sala de aula e afins...
    acho uma leitura válida e como vc falou, trabalho de formiguinha, porque as futuras gerações é que vão sentir a diferença... mas temos que começar de agora, não perder mais ttempo...
    bjs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Maria, cada semente plantada agora será colhida no futuro.
      Bjs!

      Excluir
  7. Olá!
    Adorei e acho que ainda tem muita gente por ai, inclusive mulheres que tem a mente machista.
    Vale a leitura sempre!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que principalmente as mulheres
      Bjs!

      Excluir
  8. Ótima resenha!
    Ultimamente tenho tido muita vontade de ler livros que abordam o feminismo, quero conhecer mais, pois sinto que só sei o básico, e sendo uma coisa tão importante, é necessário que haja maior conhecimento do assunto.
    Acho que se todas fizermos a nossa parte, já é uma grande entrada.
    Beijos
    Historiar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto mais conhecimento, mais "armas" para a luta :)
      Bjs!

      Excluir
  9. Olá Rose,
    Acho que as pessoas precisam aprender que ser feminista é ir além de querer que as mulheres e os homens tenham direitos iguais. Já li alguns textos sobre o movimento, mas não li a obra e tenho muita curiosidade em ler.
    Curti muito sua resenha e, obviamente, anotei a dica de leitura, pois não poderia ser diferente.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, sim, vai muito além disso.
      Bjs!

      Excluir
  10. Oi!
    Um livro baseado em um discurso? Pra mim isso é uma novidade,achei sensacional! Apesar de ter poucas páginas esse livro parece ter muito a ensinar, principalmente pra quem não sabe o que é realmente o feminismo ou tem um ideia distorcida do movimento.
    Beijos!

    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um excelente livro! Poucas páginas, mas com muito ensinamento e reflexões.
      Bjs!

      Excluir
  11. Vou dá uma olhada no vídeo do discurso. Não acho que leria o livro, pois feminismo já tronou-se um tema que estou tomando pavor de ler e discuti. Pois acho que em alguns pontos o bom senso é tido como machismo e isso me cansa bastante.
    Acho que a Chimamanda não é uma das radicalistas e por isso vou dá uma chance.
    Acho corretíssimo os valores de igualdade começarem a ser ensinados as crianças, e hoje mais do que nunca já que o assunto está em foco como nunca esteve antes. Mas também devem ter cuidado com o radicalismo, que ao meu ver tem estragado muitos movimentos

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você e muitas mulheres se perdem neste feminismo radical e acabam se tornando "machistas", pois não aceitam as escolhas feitas por outras mulheres que não vá de encontro ao que pensam.
      Bjs!

      Excluir
  12. Olá, sempre vejo ótimas críticas sobre essa obra. A autora vem fazendo bastante sucesso com seu trabalho. O livro parece ser realmente incrível. Tenho ele na versão e-book, agora só falta tempo pra ler.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Quel li em ebook também. A leitura é muito rápida.
      Bjs!

      Excluir
  13. Olá, fico tão feliz de ver mais pessoas lendo e indicando essa obra, e entendendo o que realmente é o feminismo e o quanto o fato de todos se tornarem feministas pode ajudar o mundo. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marijleide, já estava de olho neste livro há um tempão, finalmente li.
      Bjs!

      Excluir
  14. Oi
    Quero muito ler esse livro. Feminismo é preciso, pois é uma luta difícil e precisamos de muito apoio. Gostei de ler suas impressões sobre a obra e é claro que salvei o vídeo para ver depois. Legal saber que você faz a sua parte, pois cada um contribuindo, podemos mudar isso.
    Ótima dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rízia, sim, se cada um fizer sua parte, muita coisa boa acontece
      Bjs!

      Excluir
  15. Olá, tudo bem?
    Eu amo muito a força que as feministas unem para tentar igualar os direitos. Vejo que elas estão totalmente certas e recentemente li um livro muito bom, eu acho que você vai gostar muito dele. O nome é É Proibido Sorrir, da autora Esther Lya. O livro conta a história de um país machista na qual as mulheres não tinham direito nem de sorrirem, mas existia um pequeno grupo para tentar igualar esse direito (tinha até homens). O livro foi lançado há pouco tempo e eu amei fazer a leitura dele.
    Adorei seu resenha, eu não conhecia muito bem a autora, mas fiquei encantado com sua evolução e força para correr atrás do que a interessa!

    https://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victor não conhecia o livro, e agradeço a dica, vou anotar e procurar.
      Bjs!

      Excluir
  16. Oiii Rose, como vai?
    Menina eu tenho muita curiosidade em realizar a leitura dessa obra, com isso eu super anoto a sua dica e fiquei apaixonada pela sua resenha, como sempre <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgana, leia mesmo, além de ótima, a leitura ainda é rápida.
      Bjs!

      Excluir
  17. Oi!!
    Eu já tinha visto um post sobre esse livro em outro blog, tenho vontade de ler, pois parece ser uma leitura bastante proveitosa mesmo sendo de poucas páginas.
    Realmente o que tem que mudar é a criação, eu fui criada com uma irmã e sempre brincávamos de casinha, comidinha e podia ver a criação diferente entre as amigas que tinham irmãos, os meninos podem fazer certas brincadeiras enquanto que as meninas não.
    O que é pior é que se percebe que ainda tem pais que tratam as crianças assim ainda, nem pensar em um menino por exemplo usar uma camiseta rosa, realmente espero que as coisas comecem a mudar, pois já estamos vendo muitas mulheres fazendo trabalhos que antes eram considerados trabalho só para homens.
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lizie, meus filhos quando pequenos não queriam usar uma camiseta rosa (que na verdade era vermelha com umas listras bem fininhas brancas) que eu tinha comprado. Mostrei que não tinha problema nenhum, era apenas mais uma cor e que até o pai deles usava camisa rosa. Tem que começar cedo com estas coisas.
      Bjs!

      Excluir
  18. Mais importante do que ter um livro assim, mesmo que curto é poder ter o livro publicado e lido o que antes só vímos mais em blogs, porque as editoras não apostavam em autoras que falavam sobre isso, mas agora o feminismo é algo grandioso e a mulher toma conta do mercado em muitos fatores e não de uma forma ruim, mandando em tudo e sim dividindo , que é o principal.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Greice, e devemos aproveitar com inteligência esta mudança.
      Bjs!

      Excluir
  19. Hey!
    Para ser sincera, não sei se leria esse livro. Não sou adepta ao feminismo, embora concorde com algumas ideias. Não sou o tipo de pessoa que apoia causas pra falar a verdade, não tenho partido político ou algo parecido. No entanto, caso eu ganhasse de presente ou algo assim, provavelmente acabaria lendo sim, afinal, conhecimento nunca é demais. E é bom saber um pouco mais sobre igualdade.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eduarda, também não me considero feminista e nem tenho partido político. É uma leitura tão rápida, que você ia se surpreender com o conteúdo
      Bjs!

      Excluir
  20. Olá!
    Esse assunto se tornou bem polêmico nos últimos tempos e eu adoro ouvir sobre esses assuntos e debater.
    Concordo com a autora, esse comportamento "mulher dona de casa" "homem provedor da casa", vem desde criança. Eu, por exemplo, fui criada igual um moleque, jogava bola com os meninos na rua e vivia aprontando.
    Livro muito interessante e tenho certeza que vale a pena a leitura.

    Beijos, Lara.
    https://www.facebook.com/larinhacarool

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara, vale muito a pena, e para todos.
      Bjs!

      Excluir
  21. Oie.
    Eu tenho muitos amigos que fazem parte do movimento e sempre que sentamos na roda algo surge na conversa, acredito que mesmo eu não fazendo parte direta, eu tenha em mim o movimento e acho que TODOS também deveriam ter. O mundo está mudando e fico cansada de ver como algumas - milhares - pessoas se negam a ver a mudança, é tão triste ouvir algumas linhas de pensamento, fazem com que até os pacifistas percam a cabeça. Adorei os pontos abordados.
    Bjokas e 👏👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Agatha, nem me fala, fico tão irritada quando escuto algumas maluquices. esta semana mesmo um menino disse para a amiga que empinar pipa não era brincadeira de menina. Felizmente ela tinha um outro amigo mais sensato que disse que não tinha nada haver isso, algo que ela brilhantemente também refutou.
      Bjs!

      Excluir
  22. Olá,
    O livro parece ser bastante intenso.
    Desconhecia a obra, mas concordo que pelo menos saber cozinhar todos nós, sejam homens ou mulheres, devemos saber pois é algo tão crucial.
    Acho tão bonito quando as vezes meu irmão fala que determinado dia irá fazer o almoço, sempre aos fins de semana ele faz essas coisas para que minha mãe não tenha que se preocupar.

    leitoradescontrolada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que fofo da parte dele! Pois é, esta coisa básica e que sempre é relegada as mulheres.
      Bjs!

      Excluir
  23. Oi Tose, tudo bom?
    Muito bom saber que esse livro não trata desse feminismo radical e muitas vezes segregador que vemos muito atualmente, infelizmente. Mas sim parece trazer pontos interessantes pra fundamentar e difundir essa luta que é tão importante, mas que acaba se perdendo por algumas radicais.
    Você está certíssima, já está fazendo sua parte com seus filhos, já é muita coisa, pode apostar. Se cada um fizesse sua parte, já haveria muito mais respeito mútuo e livre escolha pra mulher.
    Enfim, deve ser uma leitura interessante que traz questionamentos importantíssimos.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nati, sim, cada um fazendo um pouquinho, a mudança seria mais rápida e efetiva.
      Bjs!

      Excluir
  24. Rsrs é bem assim mesmo, querem desde criança ensinar as mulheres a cozinhar
    Olha, não sou totalmente feminista, mas concordo em vários termos e pelo vídeo tenho certeza que o livro sera simples de ler mas com uma mensagem importante e que ira convencer os leitores sobre o movimento, foi a melhor leitura do ano de muita gente e por isso quero ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, com certeza foi uma das minhas
      Bjs!

      Excluir
  25. Oi, tudo bem? Livros assim com essa temática não me interessam muito.Mas gostei bastante da sua resenha, e é sempre bom termos algo porque lutar, e sua causa vale a pena, com certeza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elen, não digo minha causa, mas a nossa.
      Bjs!

      Excluir
  26. Olá!
    Eu vi essa escritora em algumas redes e sociais e jornais. É uma grande conquista ser citada entre os 20 melhores escritores e ainda ter um discurso muito bem elabora e tirando os estereótipos.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suelen, é uma grande conquista mesmo, e ainda tão nova!
      Bjs!

      Excluir
  27. Olá.
    O livro parece ser bem reflexivo e inteligente. Não pretendo ler o mesmo, mas vou assistir ao vídeo. Claro que é um assunto importante e que deve ser debatido e divulgado, mas no momento não estou muito animada para ler, pois minha lista de leituras está imensa. Quem sabe em outro momento. Ótima resenha. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia, o video já será suficiente
      Bjs!

      Excluir
  28. Oi, tudo bem?
    eu já tinha ouvido falar brevemente sobre esse livro e devo dizer que chama bastante minha atenção. eu adoro essas obras que falam de feminismo e relatam uma história comovente. espero ter uma oportunidade de conhecer esse livro melhor, adorei sua resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kétrin, espero que tenha mesmo esta chance.
      Bjs!

      Excluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.