#Resenha O Segredo do Museu imperial

Ou amigos, hoje venho com uma resenha com lembranças da época de escola. Vamos lá?
O Segredo do Museu Imperial - Stella Carr
112 páginas - Editora Moderna
Este livro é curtinho, fácil de ser lido e com um enredo de ação que pode agradar aos mais jovens. Tudo começa quando os irmãos Eloís, Marco e Isabel passeiam de charrete e ficam encantados com a beleza arquitetônica do Palácio de Cristal. É neste momento que são abordados por Túti dizendo que precisavam impedir que o explodissem o Museu Imperial. Justamente em um momento em que bombas estavam destruindo bancas de jornais e livrarias. Curiosos, os irmãos resolveram investigar as visões de Túti.
Na outra ponta da história, temos Paulo de Medeiros Albuquerque criando um enorme e intrigado quebra cabeça para entreter um grupo de conferencistas que estavam chegando para a semana de debates na Universidade Católica de Petrópolis. Uma ideia meio diabólica que os congressistas mesmo com um pé atrás resolveram aceitar.
Estes dois grupos distintos acabam se encontrando no Palácio de Cristal, e para colocarem seus planos em andamento, precisam se esconder e permanecerem no museu de noite.
O que nenhum deles contavam eram com os misteriosos acontecimentos que a noite reservava para eles. E agora, como agir diante deste mistério real que estava diante de todos? E quem está por trás destas explosões?
Uma mistura interessante de ação, aventura, suspense e história do Brasil. Não foi dos melhores que li para o público alvo, mesmo assim, foi uma boa leitura.
Esta resenha faz parte do meu Desafio Literário Livreando 2018 (#DLL2018), no item "livro que lembra infância". Para ler outras resenhas deste desafio, basta clicar na imagem abaixo:

#Resenha O Segredo do Museu imperial

Ou amigos, hoje venho com uma resenha com lembranças da época de escola. Vamos lá?
O Segredo do Museu Imperial - Stella Carr
112 páginas - Editora Moderna
Este livro é curtinho, fácil de ser lido e com um enredo de ação que pode agradar aos mais jovens. Tudo começa quando os irmãos Eloís, Marco e Isabel passeiam de charrete e ficam encantados com a beleza arquitetônica do Palácio de Cristal. É neste momento que são abordados por Túti dizendo que precisavam impedir que o explodissem o Museu Imperial. Justamente em um momento em que bombas estavam destruindo bancas de jornais e livrarias. Curiosos, os irmãos resolveram investigar as visões de Túti.
Na outra ponta da história, temos Paulo de Medeiros Albuquerque criando um enorme e intrigado quebra cabeça para entreter um grupo de conferencistas que estavam chegando para a semana de debates na Universidade Católica de Petrópolis. Uma ideia meio diabólica que os congressistas mesmo com um pé atrás resolveram aceitar.
Estes dois grupos distintos acabam se encontrando no Palácio de Cristal, e para colocarem seus planos em andamento, precisam se esconder e permanecerem no museu de noite.
O que nenhum deles contavam eram com os misteriosos acontecimentos que a noite reservava para eles. E agora, como agir diante deste mistério real que estava diante de todos? E quem está por trás destas explosões?
Uma mistura interessante de ação, aventura, suspense e história do Brasil. Não foi dos melhores que li para o público alvo, mesmo assim, foi uma boa leitura.
Esta resenha faz parte do meu Desafio Literário Livreando 2018 (#DLL2018), no item "livro que lembra infância". Para ler outras resenhas deste desafio, basta clicar na imagem abaixo:

Editoras Parceiras