#Resenha Olhos de Fogo





Oi amigos, ando meio parada com minhas leituras, por falta de tempo mesmo, mas reservei uma resenha nacional para vocês de uma autora que eu gosto muito.


Olhos de Fogo - Helena Gomes e Kathia Brienza
176 páginas - Editora Escrita Fina

Pim é um holandês que veio para o Brasil junto com seu pai Frans, um famoso cientista que quer conhecer a rica fauna e flora brasileira. 
Pim perdeu a mãe muito cedo, e foi criado pelo pai com a ajuda de  Isabel, sua escrava pessoal a quem considera uma mãe. O relacionamento com o pai não é dos mais afetuosos, pois o pai vive às voltas com seus estudos. 
Pim é um rapaz inteligente, tímido e carinhoso, que sofre com os costumes da época. Ele não concorda com a escravidão e a desigualdade entre as pessoas por conta da cor de pele.
Este enredo se passa em 1646, e o local escolhido por Frans para seus estudos foi o nordeste brasileiro. Acontece que nesta época, o Brasil sofria com a guerra entre Portugueses e Holandeses pelo domínios de nossas terras. Eles foram passar um tempo em Tejucupapo, um pequeno povoado de Pernambuco que era comandado e protegido por Diogo Venâncio, dono de engenho e anfitrião deles.
Antes de chegar ao povoado, Pim vinha sofrendo com alguns pesadelos, onde ele acabava matando uma moça que ele não conhecia. Apenas Isabel sabia destes sonhos e do sonambulismo de Pim.
Na mesma noite que chegaram ao povoado, um assassinato ocorre. Pim é encontrado ao lado do corpo da mestiça Maíra por Jussara, uma índia esperta e arredia que detestava os holandeses responsáveis pela morte de sua tribo.
Apesar de todo o ódio e da cena encontrada, ela percebeu que Pim não poderia ter matado sua amiga Maíra, e a mesmo não querendo, acaba ajudando Pim a desvendar o mistério que começa a rondar o povoado.
Outras mortes misteriosas começam a acontecer, e o povoado com medo acredita que isso pode ser obra de Anhangá, um espírito com olhos de fogo. Pim sonha com as mortes, mas não consegue evitá-las. Ele e Jussara correm contra o tempo para descobrirem o que realmente anda acontecendo, pois Frans que ir embora do povoado.
Pim descobre que a próxima vítima pode ser Jussara, e mesmo arriscando a própria vida, corre para salvá-la. Ele também descobre, ou melhor, sonha, que os holandeses estão tramando uma grande armadilha para tomar o povoado que está sem proteção, pois a milícia armada de Venâncio foi ajudar uma vila vizinha a se defender de uma falsa invasão holandesa.
Sem tempo para explicar, ele alerta ao responsável da guarda sobre a tramoia holandesa, e corre para tentar salvar e alertar as pessoas do povoado. Com a iminente invasão e sem muitas chances de vencerem, o povoado de Tejucupapo se une para tentar o inevitável, vencer o enorme batalhão holandês que está chegando.
Com poucas armas e homens disponíveis, as mulheres e idosos são obrigados a entrarem na luta também, pelo menos para aguentarem até que a tropa de Venâncio consiga chegar. E são justamente as mulheres de Tejucupapo, que lideradas por quatro mulheres - Maria Camarão, Maria Quitéria, Maria Clara e Joaquina, são decisivas neste combate. O que seria um massacre para o povoado, acaba sendo uma vitória heróica e grandiosa que poucos conhecem. Eu pelo menos não sabia do fato.

É amigos, o enredo tem um pé na história brasileira, e mistura muito bem ação, suspense e romance, deixando o livro perfeito para uma boa leitura.
Ressalto também que os personagens são ótimos, cheios de contrastes. Pim e Jussara são apaixonantes e mesmo na implicância entre eles, você sente e torce para que os dois se entendam.
Entre a invasão holandesa e os misteriosos assassinatos, o leitor fica preso até o final querendo descobrir o que vai acontecer no final. Não deixe de conhecer esta incrível aventura e principalmente de saberem como as mulheres de Tejucupapo saíram vitoriosas contra 600 holandeses, no que ficou conhecido como a "Batalha de Tejucupapo".


 
a Rafflecopter giveaway

#Resenha Olhos de Fogo





Oi amigos, ando meio parada com minhas leituras, por falta de tempo mesmo, mas reservei uma resenha nacional para vocês de uma autora que eu gosto muito.


Olhos de Fogo - Helena Gomes e Kathia Brienza
176 páginas - Editora Escrita Fina

Pim é um holandês que veio para o Brasil junto com seu pai Frans, um famoso cientista que quer conhecer a rica fauna e flora brasileira. 
Pim perdeu a mãe muito cedo, e foi criado pelo pai com a ajuda de  Isabel, sua escrava pessoal a quem considera uma mãe. O relacionamento com o pai não é dos mais afetuosos, pois o pai vive às voltas com seus estudos. 
Pim é um rapaz inteligente, tímido e carinhoso, que sofre com os costumes da época. Ele não concorda com a escravidão e a desigualdade entre as pessoas por conta da cor de pele.
Este enredo se passa em 1646, e o local escolhido por Frans para seus estudos foi o nordeste brasileiro. Acontece que nesta época, o Brasil sofria com a guerra entre Portugueses e Holandeses pelo domínios de nossas terras. Eles foram passar um tempo em Tejucupapo, um pequeno povoado de Pernambuco que era comandado e protegido por Diogo Venâncio, dono de engenho e anfitrião deles.
Antes de chegar ao povoado, Pim vinha sofrendo com alguns pesadelos, onde ele acabava matando uma moça que ele não conhecia. Apenas Isabel sabia destes sonhos e do sonambulismo de Pim.
Na mesma noite que chegaram ao povoado, um assassinato ocorre. Pim é encontrado ao lado do corpo da mestiça Maíra por Jussara, uma índia esperta e arredia que detestava os holandeses responsáveis pela morte de sua tribo.
Apesar de todo o ódio e da cena encontrada, ela percebeu que Pim não poderia ter matado sua amiga Maíra, e a mesmo não querendo, acaba ajudando Pim a desvendar o mistério que começa a rondar o povoado.
Outras mortes misteriosas começam a acontecer, e o povoado com medo acredita que isso pode ser obra de Anhangá, um espírito com olhos de fogo. Pim sonha com as mortes, mas não consegue evitá-las. Ele e Jussara correm contra o tempo para descobrirem o que realmente anda acontecendo, pois Frans que ir embora do povoado.
Pim descobre que a próxima vítima pode ser Jussara, e mesmo arriscando a própria vida, corre para salvá-la. Ele também descobre, ou melhor, sonha, que os holandeses estão tramando uma grande armadilha para tomar o povoado que está sem proteção, pois a milícia armada de Venâncio foi ajudar uma vila vizinha a se defender de uma falsa invasão holandesa.
Sem tempo para explicar, ele alerta ao responsável da guarda sobre a tramoia holandesa, e corre para tentar salvar e alertar as pessoas do povoado. Com a iminente invasão e sem muitas chances de vencerem, o povoado de Tejucupapo se une para tentar o inevitável, vencer o enorme batalhão holandês que está chegando.
Com poucas armas e homens disponíveis, as mulheres e idosos são obrigados a entrarem na luta também, pelo menos para aguentarem até que a tropa de Venâncio consiga chegar. E são justamente as mulheres de Tejucupapo, que lideradas por quatro mulheres - Maria Camarão, Maria Quitéria, Maria Clara e Joaquina, são decisivas neste combate. O que seria um massacre para o povoado, acaba sendo uma vitória heróica e grandiosa que poucos conhecem. Eu pelo menos não sabia do fato.

É amigos, o enredo tem um pé na história brasileira, e mistura muito bem ação, suspense e romance, deixando o livro perfeito para uma boa leitura.
Ressalto também que os personagens são ótimos, cheios de contrastes. Pim e Jussara são apaixonantes e mesmo na implicância entre eles, você sente e torce para que os dois se entendam.
Entre a invasão holandesa e os misteriosos assassinatos, o leitor fica preso até o final querendo descobrir o que vai acontecer no final. Não deixe de conhecer esta incrível aventura e principalmente de saberem como as mulheres de Tejucupapo saíram vitoriosas contra 600 holandeses, no que ficou conhecido como a "Batalha de Tejucupapo".


 
a Rafflecopter giveaway

Editoras Parceiras