Religiosidade


 
Há quem purifique o verso, a prosa, a poesia,
cantando mistérios junto à lua e à escuridão.
Têm aqueles que preferem,
no prazer da solução,
imergir vontade,
anseios,
amores,
no barulho de tambores,
para satisfazer alma e coração.

Há quem dissemine prazer,
desde cedo até o anoitecer,
procurando lugares em luzes que ambientam os labirintos de vidas,
todas aquelas que vem e se vão.

Para alguns, codinomes são comuns.
Ofertar, oferecer, arrancar, ter poder,
emudecer.
Saciar o acalento pela pureza do advento como profundidade criativa.
No crer.

Há culto,
há reza,
há oração.

Há roupa,
cor,
há branca,
flor,
ilusão.

No poder do da mística invisível,
Há arrepios e calafrios,
todos os sabores da fé,
como
e
do
jeito que se quer e quiser.
Rafa Silvestre/Poesia de Momento

8 comentários:

  1. thailaoliveira723/9/13

    para começar bem a semana!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gladys Sena23/9/13

    Boa semana, Rose!


    Bjo!

    ResponderExcluir
  3. Assim compensa um pouco esta chuva toda, rsrsrsrs
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Oi Gladys, para você também querida.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. VANNESSA QUEIROS27/9/13

    Oi Rose,posts assim são maravilhosos pelo lado poético e pela reflexão que nos permite fazer sobre nossas vidas,Rose esse vídeo é muito emocionante:http://www.youtube.com/watch?v=kuBNEs-1vTc

    ResponderExcluir
  6. Lindo mesmo Vannessa, obrigada por dividir comigo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.