#Resenha Quando o Céu se Apaga

Oi amigos, hoje trago para vocês uma resenha sobre força e superação. Como nossos problemas crescem diante de medos que criamos em nossa própria cabeça. Espero que gostem!
Quando o Céu se Apaga - Mírian Vidal
256 páginas - Editora Pandorga
O livro conta a história de uma garota que nasceu com escoliose. Escoliose para quem não sabe é uma deformidade (desvio) na coluna vertebral.
Os problemas começaram a surgir mesmo quando começou a entender que era diferente da maioria das suas amigas. Ela tinha algumas limitações que as outras não tinham. Ela percebia como suas amigas estavam mudando, crescendo, enquanto ela permanecia presa ao seu corpo de criança.
Como explicar a uma criança sobre uma doença? Por mais esclarecida que ela seja, ela não tem um completo entendimento do que se passa com ela. Porquê com ela? Ela sente-se um peso para todos, uma vergonha para os pais. A confiança e brilho no olhar aos poucos vão se apagando. Por ela, ela poria um fim em tudo, mas tinha sua mãe, e ela não queria que sua mãe sofresse mais do que o necessário.
Fiquei ali, analisando o quão medrosa eu era. Nem coragem para me matar eu tinha. A vida é realmente uma droga!
Logo cedo, aos treze anos, teve que passar por duas dolorosas cirurgias, por conta de misteriosas fraturas no fêmur. Foram longos e dolorosos meses, onde nem andar ela podia. Os médicos não sabiam explicar e inúmeros exames eram feitos. 
Muito magra, e com vários medos, nossa garota tenta se adaptar ao que a vida vai lhe jogando na cara. Quando ela pensa estar adaptada a sua atual situação, e com planos para uma faculdade, vem um diagnóstico que muda tudo, ela tem apenas mais cinco anos de vida. O próprio corpo dela é o maior inimigo de sua saúde. Sua coluna vai aos poucos matando nossa garota. Teria uma operação para isso? Não uma que valesse a pena no momento. Não uma que resolveria os problemas de uma vez. Não uma que devolvesse os sonhos que ela tinha. 
- Você não me dá trabalho, eu quero você porque eu amo você e não outra igualzinha a você.
Ela já estava acostumada ao lado negro de seu destino, e por mais fácil que fosse desistir, ela tornou-se uma guerreira, e como tal iria lutar pela vida. Seus sonhos foram destruídos? Ela teria novos sonhos. Sapatos especias, muletas, cadeira de rodas, tudo ela enfrentaria... e venceria...
Teve dias ruins? Sim, inúmeros, mas ela seguia em frente. Talvez seu maior inimigo nem seja seu corpo, mas sua mente. Em vários momentos vemos claramente seu sofrimento e desespero. A forma "deformada" como ela mesma se via. A forma como ela achava que os outros a encaravam. Ela já tinha muitos problemas para enfrentar além do medo de sua própria mente. Para ela lutar contra a doença, era preciso que ela lutasse contra seus medos.
Os médicos tinham falado para ela que eu nunca iria andar, então comecei a fazer fisioterapia desde o primeiro mês de vida. Apesar de ter começado tarde, eu andei. Ela dizia que tinha sido um milagre. Que eu era um milagre. Por isso eu acreditava em milagres. Eu acreditava em mim.
Ao longo de toda sua jornada ela conheceu muitos anjos. Amigos que lhe deram apoio e incentivaram. Amigos que lhe mostravam um lado que ela pensava não ter. Uma irmão e uma mãe que seguraram sua barra, mesmo nos momentos mais pesados. Ela teve perdas também, perdas que lhe tiraram o chão. Mas por tudo que ela viveu, entre perdas e ganhos, ela ganhou. E se seriam cinco anos que ela teria, ela estava decidida a fazer valer a pena cada dia que lhe fosse dado.
Sinto como se minha resenha estivesse confusa, e peço perdão por isso, mas a verdade é que ele mexeu comigo. O livro é ótimo, cheio de lutas, dúvidas, sofrimento, revolta e superação. É um livro que fala de vida, da vida real. O enredo é narrado pela própria protagonista, que como vocês devem ter percebido, não citei o nome, pelo simples fato de não ter um nome... Isso mesmo, em nenhum momento do livro o leitor fica sabendo o nome da garota, e sinceramente, só fui me ater a isso já no final do livro. Outra coisa que gostaria de dizer, é que no final do livro, onde conhecemos um pouco da autora, ficamos sabendo que o enredo é meio ficção, meio fato real. Ou seja, alguns dos relatos que lemos, foram sofridos pela nossa autora, e outros ela fantasiou. O que é real, o que é ficção, não temos como saber. Tudo fica misturado de um jeito, que para mim, tudo foi real.
Se você pensa que tem um problema, acredite, outros tem problemas maiores que você, então pare de reclamar e viva! Neste meio tempo, aproveite e leia este livro!!!
Para finalizar deixo com vocês o Book Trailer do livro:

#Resenha Quando o Céu se Apaga

Oi amigos, hoje trago para vocês uma resenha sobre força e superação. Como nossos problemas crescem diante de medos que criamos em nossa própria cabeça. Espero que gostem!
Quando o Céu se Apaga - Mírian Vidal
256 páginas - Editora Pandorga
O livro conta a história de uma garota que nasceu com escoliose. Escoliose para quem não sabe é uma deformidade (desvio) na coluna vertebral.
Os problemas começaram a surgir mesmo quando começou a entender que era diferente da maioria das suas amigas. Ela tinha algumas limitações que as outras não tinham. Ela percebia como suas amigas estavam mudando, crescendo, enquanto ela permanecia presa ao seu corpo de criança.
Como explicar a uma criança sobre uma doença? Por mais esclarecida que ela seja, ela não tem um completo entendimento do que se passa com ela. Porquê com ela? Ela sente-se um peso para todos, uma vergonha para os pais. A confiança e brilho no olhar aos poucos vão se apagando. Por ela, ela poria um fim em tudo, mas tinha sua mãe, e ela não queria que sua mãe sofresse mais do que o necessário.
Fiquei ali, analisando o quão medrosa eu era. Nem coragem para me matar eu tinha. A vida é realmente uma droga!
Logo cedo, aos treze anos, teve que passar por duas dolorosas cirurgias, por conta de misteriosas fraturas no fêmur. Foram longos e dolorosos meses, onde nem andar ela podia. Os médicos não sabiam explicar e inúmeros exames eram feitos. 
Muito magra, e com vários medos, nossa garota tenta se adaptar ao que a vida vai lhe jogando na cara. Quando ela pensa estar adaptada a sua atual situação, e com planos para uma faculdade, vem um diagnóstico que muda tudo, ela tem apenas mais cinco anos de vida. O próprio corpo dela é o maior inimigo de sua saúde. Sua coluna vai aos poucos matando nossa garota. Teria uma operação para isso? Não uma que valesse a pena no momento. Não uma que resolveria os problemas de uma vez. Não uma que devolvesse os sonhos que ela tinha. 
- Você não me dá trabalho, eu quero você porque eu amo você e não outra igualzinha a você.
Ela já estava acostumada ao lado negro de seu destino, e por mais fácil que fosse desistir, ela tornou-se uma guerreira, e como tal iria lutar pela vida. Seus sonhos foram destruídos? Ela teria novos sonhos. Sapatos especias, muletas, cadeira de rodas, tudo ela enfrentaria... e venceria...
Teve dias ruins? Sim, inúmeros, mas ela seguia em frente. Talvez seu maior inimigo nem seja seu corpo, mas sua mente. Em vários momentos vemos claramente seu sofrimento e desespero. A forma "deformada" como ela mesma se via. A forma como ela achava que os outros a encaravam. Ela já tinha muitos problemas para enfrentar além do medo de sua própria mente. Para ela lutar contra a doença, era preciso que ela lutasse contra seus medos.
Os médicos tinham falado para ela que eu nunca iria andar, então comecei a fazer fisioterapia desde o primeiro mês de vida. Apesar de ter começado tarde, eu andei. Ela dizia que tinha sido um milagre. Que eu era um milagre. Por isso eu acreditava em milagres. Eu acreditava em mim.
Ao longo de toda sua jornada ela conheceu muitos anjos. Amigos que lhe deram apoio e incentivaram. Amigos que lhe mostravam um lado que ela pensava não ter. Uma irmão e uma mãe que seguraram sua barra, mesmo nos momentos mais pesados. Ela teve perdas também, perdas que lhe tiraram o chão. Mas por tudo que ela viveu, entre perdas e ganhos, ela ganhou. E se seriam cinco anos que ela teria, ela estava decidida a fazer valer a pena cada dia que lhe fosse dado.
Sinto como se minha resenha estivesse confusa, e peço perdão por isso, mas a verdade é que ele mexeu comigo. O livro é ótimo, cheio de lutas, dúvidas, sofrimento, revolta e superação. É um livro que fala de vida, da vida real. O enredo é narrado pela própria protagonista, que como vocês devem ter percebido, não citei o nome, pelo simples fato de não ter um nome... Isso mesmo, em nenhum momento do livro o leitor fica sabendo o nome da garota, e sinceramente, só fui me ater a isso já no final do livro. Outra coisa que gostaria de dizer, é que no final do livro, onde conhecemos um pouco da autora, ficamos sabendo que o enredo é meio ficção, meio fato real. Ou seja, alguns dos relatos que lemos, foram sofridos pela nossa autora, e outros ela fantasiou. O que é real, o que é ficção, não temos como saber. Tudo fica misturado de um jeito, que para mim, tudo foi real.
Se você pensa que tem um problema, acredite, outros tem problemas maiores que você, então pare de reclamar e viva! Neste meio tempo, aproveite e leia este livro!!!
Para finalizar deixo com vocês o Book Trailer do livro:

Editoras Parceiras