#Resenha A Maldição do Vencedor #1/3

Oi amigos, hoje tenho para vocês o primeiro livro da trilogia A Maldição do Tigre. Uma trilogia que ganhou meu coração com suas intrigas políticas, luta pela liberdade e claro, um amor proibido...

A Maldição do Vencedor - #1 Trilogia do Vencedor - Marie Rutkoski
328 páginas - Editora Plataforma21
Kestrel é uma valoriana de 17 anos, filha do general Trajan. Os valorianos há anos tomaram a cidade de Herran, e fizeram os herranis de escravos.
Os valorianos são formados para a guerra, mesmo as mulheres. Quando elas não se casam, entram para o exército valoriano. 
Trajan, pai de Kestrel, cobra um empenho maior da filha, e não entende porquê a menina, que é uma grande estrategista, não entra logo para o exército e o ajuda nesta guerra. Mas Kestrel não leva o menor jeito para o combate. O general Trajan vivia treinando seu exército para defender o Império dos ataques bárbaros. Estes ataques estão mais frequentes desde que o Império aumentou seus domínios fronteirais.
Além das cobranças do pai, Kestrel também tem o amor de Ronan, que não perde nenhuma oportunidade para se declarar. Entre o casamento e o exército o que ela quer mesmo é a música, sendo o piano sua verdadeira paixão. O problema é que a música não é bem vista pelos valorianos, que a delegam para os escravos.
Kestrel nunca entendeu muito bem porque os dois povos não poderiam viver em harmonia e não gosta de saber que algum escravo possa vir a ser maltratado. 
Em um de seus vários passeios pelo mercado, em companhia de sua inseparável amiga Jess, que é irmã de Ronan, elas acabam indo parar no leilão de escravos. Sem entender muito bem seus próprios motivos, ela acaba arrematando um escravo que estava sendo leiloado. Smith tem 19 anos e estava sendo vendido como um excelente cantor, além de um bom e útil ferreiro.
Depois do seu impulso, Kestrel não tem mais o que fazer além de levar Smith para sua casa, onde ele é colocado para trabalhar fazendo ferraduras. Mas o escravo não sai de sua cabeça, e ela acaba fazendo dele seu acompanhante, já que como não é nem casada e nem militar, não pode sair desacompanhada de casa.
A aproximação entre eles é gradativa e lenta. Kestrel sabe que Smith, que ela vem a descobrir chama-se na verdade Arin, tem mais coisas a esconder, ela só não sabe o quê.
Todo inimigo deve ser vigiado. Sempre identifique as vantagens e fraquezas do seu oponente.
Arin por sua vez não esquece o sofrimento que passou. Não só ele, como todo o seu povo. Ele está na casa como um espião, pois seu objetivo é colher informações para que uma revolução que está sendo cuidadosamente planejada possa dar certo e libertar seu povo.
O problema é que Arin começa a perceber que Kestrel não é como a maioria dos valorianos. Ele inclusive começa a sentir uma forte atração pela garota. Atração esta, que ele luta para destruir.
Com a presença constante de Arin ao lado de Kestrel, fofocas entre ela e o escravo começam a surgir, o que coloca a jovem em uma situação complicada, ainda mais quando ela sem querer pega para si a ira de Irex, que é considerado um dos melhores lutadores de Valoria.
Para complicar ainda mais sua situação, o pai lhe dá um ultimato. Ela que poderia decidir até os 21 anos se entraria para o exército ou se casaria, agora tem apenas alguns meses para tomar esta decisão.
Sua honra está em xeque na sociedade valoriana, que não esconde desprezá-la por conta de sua suposta relação com o escravo. Com seu pai longe de casa, o capitão Wansan, Jess, Ronan, que deixa claro seu amor, são os únicos que estão a seu lado. 
Mas seu problema vai parecer fichinha quando a rebelião estoura e matar boa parte dos valorianos. Os que restaram acabaram virando reféns. Ela própria agora é uma refém de luxo de Arin, o que aumenta a raiva sobre si mesma e sua impotência diante da situação. Além do fato dela sentir-se enganada e usada.
Acontece que Kestrel não vai se render facilmente, e mesmo sem muita coisa a seu favor, ela tem a sua mente ágil. Mas ela precisa ter alguns cuidados, pois o inimigo está a espreita e é muito curioso. Mesmo acreditando que Arin não lhe fará mal, ela sabe que ele sozinho não pode lhe proteger para sempre. Fora que ela como uma valoriana e filha do general mais conceituado do exército, não poderia ficar sem fazer nada.
A felicidade depende de ser livre, e a liberdade depende de ter coragem.
Em uma luta pela liberdade e pelo poder, Arin e Kestrel são obrigados a escolherem seus lados. Em uma guerra onde ambos tem os mesmo objetivos, as escolhas podem afastá-los para sempre. Para que ambos vivam, decisões difíceis deverão ser tomadas. Resta saber o que é mais importante para cada um deles, o amor, a vitória ou a liberdade? 
A edição do livro está muito bonita, a começar pela capa. Dentro temos um mapa para orientar o leitor dentro dos campos de batalhas.
A edição conta ainda com algumas folhas pretas, que eu adoro, diga-se de passagem, e com a divisão de capítulos com números bem grandes. Há também uma charmosa subdivisão dentro dos capítulos:

É uma leitura envolvente e rápida. A autora não perde tempo com enrolações ou fatos desnecessários. O romance não acontece rapidamente, se é que posso dizer que veio de fato a acontecer... 
Ronan foi um personagem que me surpreendeu, apenas da pouca participação. Não sei o que será dele na sequência do enredo, nem se ele e Kestrel conseguirão se reencontrar, mas é inegável o amor que ele tem por ela. Balançou meu coração. Se no início os fatos foram mais amenos, a reta final mostrou todo o poder que a trilogia tem. Muitas questões estão no ar, e eu me pergunto, como tudo vai se resolver? Não vejo a hora de ler o próximo volume. Se recomendo? Claro!!!
Para finalizar vou deixar com vocês o Book Trailer:

#Resenha A Maldição do Vencedor #1/3

Oi amigos, hoje tenho para vocês o primeiro livro da trilogia A Maldição do Tigre. Uma trilogia que ganhou meu coração com suas intrigas políticas, luta pela liberdade e claro, um amor proibido...

A Maldição do Vencedor - #1 Trilogia do Vencedor - Marie Rutkoski
328 páginas - Editora Plataforma21
Kestrel é uma valoriana de 17 anos, filha do general Trajan. Os valorianos há anos tomaram a cidade de Herran, e fizeram os herranis de escravos.
Os valorianos são formados para a guerra, mesmo as mulheres. Quando elas não se casam, entram para o exército valoriano. 
Trajan, pai de Kestrel, cobra um empenho maior da filha, e não entende porquê a menina, que é uma grande estrategista, não entra logo para o exército e o ajuda nesta guerra. Mas Kestrel não leva o menor jeito para o combate. O general Trajan vivia treinando seu exército para defender o Império dos ataques bárbaros. Estes ataques estão mais frequentes desde que o Império aumentou seus domínios fronteirais.
Além das cobranças do pai, Kestrel também tem o amor de Ronan, que não perde nenhuma oportunidade para se declarar. Entre o casamento e o exército o que ela quer mesmo é a música, sendo o piano sua verdadeira paixão. O problema é que a música não é bem vista pelos valorianos, que a delegam para os escravos.
Kestrel nunca entendeu muito bem porque os dois povos não poderiam viver em harmonia e não gosta de saber que algum escravo possa vir a ser maltratado. 
Em um de seus vários passeios pelo mercado, em companhia de sua inseparável amiga Jess, que é irmã de Ronan, elas acabam indo parar no leilão de escravos. Sem entender muito bem seus próprios motivos, ela acaba arrematando um escravo que estava sendo leiloado. Smith tem 19 anos e estava sendo vendido como um excelente cantor, além de um bom e útil ferreiro.
Depois do seu impulso, Kestrel não tem mais o que fazer além de levar Smith para sua casa, onde ele é colocado para trabalhar fazendo ferraduras. Mas o escravo não sai de sua cabeça, e ela acaba fazendo dele seu acompanhante, já que como não é nem casada e nem militar, não pode sair desacompanhada de casa.
A aproximação entre eles é gradativa e lenta. Kestrel sabe que Smith, que ela vem a descobrir chama-se na verdade Arin, tem mais coisas a esconder, ela só não sabe o quê.
Todo inimigo deve ser vigiado. Sempre identifique as vantagens e fraquezas do seu oponente.
Arin por sua vez não esquece o sofrimento que passou. Não só ele, como todo o seu povo. Ele está na casa como um espião, pois seu objetivo é colher informações para que uma revolução que está sendo cuidadosamente planejada possa dar certo e libertar seu povo.
O problema é que Arin começa a perceber que Kestrel não é como a maioria dos valorianos. Ele inclusive começa a sentir uma forte atração pela garota. Atração esta, que ele luta para destruir.
Com a presença constante de Arin ao lado de Kestrel, fofocas entre ela e o escravo começam a surgir, o que coloca a jovem em uma situação complicada, ainda mais quando ela sem querer pega para si a ira de Irex, que é considerado um dos melhores lutadores de Valoria.
Para complicar ainda mais sua situação, o pai lhe dá um ultimato. Ela que poderia decidir até os 21 anos se entraria para o exército ou se casaria, agora tem apenas alguns meses para tomar esta decisão.
Sua honra está em xeque na sociedade valoriana, que não esconde desprezá-la por conta de sua suposta relação com o escravo. Com seu pai longe de casa, o capitão Wansan, Jess, Ronan, que deixa claro seu amor, são os únicos que estão a seu lado. 
Mas seu problema vai parecer fichinha quando a rebelião estoura e matar boa parte dos valorianos. Os que restaram acabaram virando reféns. Ela própria agora é uma refém de luxo de Arin, o que aumenta a raiva sobre si mesma e sua impotência diante da situação. Além do fato dela sentir-se enganada e usada.
Acontece que Kestrel não vai se render facilmente, e mesmo sem muita coisa a seu favor, ela tem a sua mente ágil. Mas ela precisa ter alguns cuidados, pois o inimigo está a espreita e é muito curioso. Mesmo acreditando que Arin não lhe fará mal, ela sabe que ele sozinho não pode lhe proteger para sempre. Fora que ela como uma valoriana e filha do general mais conceituado do exército, não poderia ficar sem fazer nada.
A felicidade depende de ser livre, e a liberdade depende de ter coragem.
Em uma luta pela liberdade e pelo poder, Arin e Kestrel são obrigados a escolherem seus lados. Em uma guerra onde ambos tem os mesmo objetivos, as escolhas podem afastá-los para sempre. Para que ambos vivam, decisões difíceis deverão ser tomadas. Resta saber o que é mais importante para cada um deles, o amor, a vitória ou a liberdade? 
A edição do livro está muito bonita, a começar pela capa. Dentro temos um mapa para orientar o leitor dentro dos campos de batalhas.
A edição conta ainda com algumas folhas pretas, que eu adoro, diga-se de passagem, e com a divisão de capítulos com números bem grandes. Há também uma charmosa subdivisão dentro dos capítulos:

É uma leitura envolvente e rápida. A autora não perde tempo com enrolações ou fatos desnecessários. O romance não acontece rapidamente, se é que posso dizer que veio de fato a acontecer... 
Ronan foi um personagem que me surpreendeu, apenas da pouca participação. Não sei o que será dele na sequência do enredo, nem se ele e Kestrel conseguirão se reencontrar, mas é inegável o amor que ele tem por ela. Balançou meu coração. Se no início os fatos foram mais amenos, a reta final mostrou todo o poder que a trilogia tem. Muitas questões estão no ar, e eu me pergunto, como tudo vai se resolver? Não vejo a hora de ler o próximo volume. Se recomendo? Claro!!!
Para finalizar vou deixar com vocês o Book Trailer:

Editoras Parceiras