News Novas Páginas

 

 
 Oi amigos, hoje venho contar uma super novidade para vocês vindo lá dos lados na Novo Conceito. A novidade é tão boa, que vou deixar para postar os lançamentos de maio na próxima semana (não deixem de conferir). 
Dias atrás, no Facebook da editora, esta foto que vocês estão vendo aqui ao lado estava postada com os seguintes dizeres: 
 
"Sempre de olho nos talentos nacionais, o selo Novas Páginas do Grupo Editorial Novo Conceito assinou hoje o contrato com a autora Vanessa Bosso!"
 
Eu fiquei muito feliz com a notícia, pois mesmo tendo lido apenas um livro da autora, Possuída, fiquei fã da narrativa dela. Fora que é sempre bom ver uma autora nossa assinando um contrato como uma editora, pois todos sabemos as dificuldades que um autor enfrenta em nosso país.
Vanessa deixou um recado a seus fãs: 
 
"Sou criadora de histórias desde a infância, mas nunca havia pensado em escrevê-las. Foi só em 2009 que tomei coragem e decidi arriscar tudo na carreira de escritora.
Me deparei com um mercado hostil a novos autores, e paguei para publicar meus cinco primeiros romances. Os resultados ficaram aquém do esperado, mas nem assim eu desisti.
Parti com determinação rumo a publicação independente apenas com e-books e, por incrível que pareça, foi a decisão mais acertada. Ganhei leitores, feedbacks importantes e retorno financeiro imediato.
O sucesso dos e-books foi um marco na minha carreira, e logo me tornei conhecida como um case de sucesso no mundo virtual. Fui convidada a ir a Nova York e contar minha trajetória a outros autores que, como eu, buscam um lugar nesse competitivo e difícil mercado.
Sim, o sucesso é possível mediante muito trabalho e paixão pelas letras.
Foi através da autopublicação que meu sonho de ser publicada por uma grande editora se realizou. Meus livros foram solicitados para análise, e qual não foi a minha surpresa quando a resposta foi positiva.
O reconhecimento dos leitores eu já tinha, mas, agora, posso dizer com todas as letras, estou me sentindo realizada. Sonhos podem sim se tornar realidade, desde que você acredite em seu dom.
Eu acredito.
Obrigada a Novo Conceito por também acreditar."
Vanessa Bosso
 
Obrigada Novo Conceito por este verdadeiro presente dado a seus leitores!
Só para constar, a autora tem vários títulos publicados, entre eles: A Aposta, Senhor do Amanhã, O Imortal, 2012 - Uma Aventura No Fim do Mundo, O Elemental, O Homem Perfeito entre outros.
Diante disso, só posso desejar sucesso à autora nesta sua nova empreitada! 
 
 
a Rafflecopter giveaway

Dica Literária: #Irado

 
 
 
Oi amigos, já tem um tempinho que eu queria fazer este post, mas acabava sempre adiando por um motivo ou outro. 
Então sentei e disse a mim mesma: "É agora!", e cá estou eu para falar para vocês do novo "filho", ou melhor, do novo selo da Editora Novo Conceito: #Irado
Este novo selo estará voltado para um público mais jovem com o gênero infanto-juvenil. 
Já temos um livro disponível, que em breve será resenhado aqui no blog, mas por hora, deixo a capa e sinopse com vocês:



Boneca de Ossos -  Holly Black

Sinopse: Zach, Poppy e Alice têm sido grandes amigos desde sempre. Eles adoram brincar com os seus brinquedos, sempre imaginando um mundo mágico repleto de aventura e heroísmo. Mas, o desastre acontece quando, sem aviso,o pai de Zach joga fora todos os seus brinquedos, declarando que ele é velho demais para eles. Zach, furioso, confuso e envergonhado, decide que a única maneira de lidar com isso é parar com tudo isso... e deixar de ser amigo de Poppy e Alice. Mas, em uma noite, as garotas visitam Zach e contam a ele sobre uma série de ocorrências misteriosas. Poppy jura que ela agora está sendo assombrada por uma boneca de porcelana - que afirma que ela é feita a partir dos ossos de uma menina assassinada. Eles precisam voltar com a boneca para o lugar onde a menina morava, e enterrá-lo. Caso contrário, os três serão amaldiçoados para a eternidade.
 
Então, gostaram da novidade?
 
a Rafflecopter giveaway

News Belas Letras

Oi amigos, conheçam uma novidade que vem fresquinha da Editora Belas Letras.
 
Quinhentos gramas de vida: A luta dos bebês prematuros pela sobrevivência - Thais Lazzeri

Livro reportagem relata a história de nove crianças prematuras extremas e suas famílias


A cada 100 nascimentos no Brasil, 11 são partos prematuros. 11. A prematuridade é a mais letal das condições para mortes no primeiro ano de vida. Cerca de 8% dos bebês nascem com menos de dois quilos, segundo dados do Ministério da Saúde. Por trás desses números há dramas de pais e mães que lutam pela sobrevivência de alguém que recém acabou de nascer, como Charles e Thais, que ouviram estas palavras de um médico, referindo-se ao filho logo após o parto:

“Se ele sobreviver, o que é muito difícil, ele vai ser cego. Com a sequela cerebral que ele pode ficar, ser cego nem vai ser um problema muito grande. Mas isso se ele sobreviver.”

Thais teve Rodrigo com apenas 24 semanas de gestação, o limite da prematuridade. A história deles e de outras oito famílias está no livro-reportagem Quinhentos gramas de vida: A luta dos bebês prematuros pela sobrevivência, escrito pela jornalista Thais Lazzeri e publicado pela editora Belas-Letras.

Apesar de o assunto ser pouquíssimo abordado pela mídia, o Brasil está em décima posição no ranking mundial sobre número de prematuridade. Os prematuros extremos, que são o tema do livro – aqueles bebês que nascem, em média, com um peso menor ainda, quinhentos gramas ou até menos. Eles podem ser considerados alguns dos menores bebês do Brasil.

A autora trabalhou por quase oito anos na revista Crescer, publicação da editora Globo. Hoje é repórter da revista Época, mas diz que somente com esse livro teve a oportunidade de “desnudar como o nascimento de uma criança em condições tão desfavoráveis é capaz de transformar a visão de mundo”.

Grávida e prestes a dar à luz sua primeira filha – Catarina – juntamente com a vinda do livro, Thais convida todos a se emocionarem por essas 136 páginas, e compartilharem um pouco da realidade vivenciada por todas essas pessoas. Não só das nove histórias retratadas, mas o drama de quinze milhões espalhadas pelos cinco continentes.

Sobre a autora: Thais Lazzeri é repórter da editoria de Vida da revista Época. Trabalhou durante sete anos na Revista Crescer, da Editora Globo, como repórter e editora-assistente de Gravidez, Saúde e Nutrição. Também escreveu para a revista Nova e para a Folha de S. Paulo.

Então amigos, o que acharam?
 
a Rafflecopter giveaway

#Resenha O Meninos dos Fantoches de Varsóvia

 Oi amigos, hoje tem uma resenha um tanto longa para vocês, mas acreditem, eu tentei diminuir o quanto pude, mas não fui feliz, pois do contrário não passaria o que eu queria para vocês. Por isso, espero que me perdoem e leiam até o fim. Só posso garantir que vale a pena.
O Menino dos Fantoches de Varsóvia - Eva Weaver
400 páginas - Editora Novo Conceito
Quando eu peguei este livro, eu logo lembrei do "O Menino do Pijama Listrado". Talvez pela capa, mas com certeza pelo mesmo pano de fundo: 2º Guerra Mundial. Mas as semelhanças ficaram apenas nisso mesmo, saibam porque:
Mika Hernsteyn é um menino de 12 anos que começou a perder tudo por conta da 2º Guerra Mundial, que todos sabem, um louco chamado Hitler achou que sua raça era superior a todas as outras e por isso deveriam ser exterminadas da face da terra.
Para azar de Mika, ele e sua família eram judeus, e por isso, seres inferiores que não deveriam existir. Em 1939, o pesadelo de Mika começou, e sua cidade Varsóvia (capital da Polônia) foi invadida e tomada pelas tropas alemãs.
Planta do Gueto de Varsóvia
Os judeus foram confinados em uma área que ficou conhecida como "Gueto de Varsóvia." Era uma área cercada por altos muros de onde eles não tinham permissão de sair, e que era vigiada constantemente pelos soldados alemãs. Eles tinham toque de recolher e qualquer coisa que dissessem ou fizessem era motivo para que perdessem a vida. Até pensar poderia ser arriscado. Comida era um luxo, assim como muitas coisa simples da vida.
Em mais um dos intermináveis dias daquele inferno, Mika perdeu seu avô. Era julho de 1941, quando Mika recebeu de seu avô, ainda com vida a seus pés, o casaco que ele tanto amava.
Foi através do casaco, que Mika conheceu um outro lado de Tatus, o de criador de fantoches. Os fantoches que seu avô fez durante as intermináveis horas que passava trancado na despensa, agora era a única companhia que ele tinha.
Com o passar do tempo, mais judeus começaram a chegar ao gueto, e Mika e sua mãe passaram a dividir o pequeno apartamento com uma outra família judia e com sua tia Cara e seus primos Ellie e Paul. 
Aos poucos Ellie e Mika passaram a dividir o segredo e a companhia dos fantoches, e em seguida começaram a fazer apresentações para os que viviam no apartamento. A notícia do show de fantoches logo se espalhou, e ele passaram a fazer apresentações por todo o gueto em troca de pães, frutas, legumes, o que tivesse para oferecer como pagamento.
Orfanato Dom Sierot

Eles também se apresentavam no Orfanato Dom Sierot, cuidado por Janusz Korczak¹ e no Hospital Infantil Judaico que ficava na Rua Sienna, apenas para distraírem e alegrarem as crianças que lá estavam.
Em uma destas saídas, Mika acabou encontrando com, um soldado alemão que levou Mika até o posto dos oficiais e soldados alemãs para que ele apresentasse um espetáculo.
Deste encontro que poderia ter sido o fim de Mika, foi talvez, o desvio que o tirou da morte.
Sem ter como escapar, começou o verdadeiro calvário para Mika, que era obrigado a ir até lá uma vez por semana divertir aqueles que estavam massacrando sua gente.
Ele se achava um traidor, e mesmo não tendo alternativa e recebendo pães como pagamento para levar para casa, ele ficava mal por dias depois de cada apresentação. Isso começou a mudar quando sua prima Ellie descobriu o que ele fazia, e além de lhe apoiar, passou a ajudá-lo na construção de mais fantoches e na criação de novos espetáculos.
Matt de uma certa forma acabava protegendo Mika dos outros soldados alemães, mas não se enganem, pois os dois não chegaram a desenvolver o que podemos dizer ser uma "amizade". Com as apresentações feitas tanto no gueto, como no posto alemão, Mika passou a ser chamado de "O Menino dos Fantoches".
Foi justamente esta sua "pequena fama" que deu a Mika a oportunidade de fazer mais do que simples apresentações. E bem debaixo dos narizes alemães, Mika começou a fazer a diferença. Mesmo que ele achasse estar fazendo pouco, sua coragem e seus atos garantiram a vida de várias crianças.
Quando os judeus acharam que já tinham passado por tudo, o pior ainda estava começando. Mika perdeu muito, e na tentativa de salvar o que lhe era mais precioso, ele deu a Matt seu bem mais caro: o fantoche do príncipe.
Cansados de tudo e sem ter mais o que perder, o povo do gueto resolveu revidar, e criaram a ZOB (Zydowska Organizacja Bojowa/ Organização Judaica de Combate). Liderados por

Mordechaj Anielewicz² e armados com o que conseguiram contrabandear para dentro do gueto, e principalmente com coquetéis molotov, começaram a revolta armada. A notícia se espalhou e outras resistência foram formadas e mais judeus foram aderindo. 

Os nazistas não ficaram quietos, e logo resolveram arrasar com o gueto. Quando eu digo arrasar, é arrasar mesmo, destruíram e queimaram tudo o que havia pela frente e dentro do muro.
Imagem do gueto destruído

Os judeus se esconderam como puderam, e Mika, junto com alguns outros, depois de dias escondidos, foram resgatados por outra resistência.
Mika estava sozinho, e assim como milhares de judeus, já tinha perdido tudo: casa, família, dignidade... Mas uma coisa ele e outros tantos mantiveram, a coragem e a esperança para seguirem em frente e lutarem pelo que acreditavam.
Mika mudou-se para os EUA e reconstruiu sua vida, mas nunca mais tocou nos fantoches. Até que em janeiro de 2009, ele viu um cartaz onde dizia que uma trupe alemã de fantoches iria se apresentar ali, em Nova York. Foi demais para o coração de Mika, e ele acabou revelando toda sua verdadeira história para seu neto Danny.
Curiosamente, foi o fantoche do príncipe, que Mika deu a Matt, que deu forças ao soldado alemão, que de algoz passou a ser vítima, quando a guerra chegou ao fim e os soldados e oficiais alemães foram julgados e condenados por seus crimes.
Tudo o que os alemães fizeram os judeus passarem, estavam passando também nas mãos dos Aliados (vencedores da guerra). A arrogância estava sendo enfiada goela abaixo. Matt já não aguentava mais a vida de prisioneiro, por isso decidiu fugir. Durante anos caminhou incansavelmente atravessando a gélida Sibéria, local onde ele e vários outros militares estavam presos. Sempre ao lado do fantoche, ele tinha um único destino, voltar para os braços de sua esposa e filho.
A guerra deixou muitas marcas. Todos que por ela passaram e sobreviveram, tiveram um difícil recomeço e uma longa volta para casa.
Mika e Matt, judeu e alemão. Dois lados de uma mesma guerra, onde toda a humanidade, e principalmente os judeus, perderam. A
mbos foram salvos e guiados pela força encontrada em um fantoche chamado Príncipe. Um fantoche que nasceu e cresceu nas mãos de judeus. Viveu anos junto ao coração de um alemão, até passar para as mãos de sua neta Mara Meiehauser.
Um fantoche que viu e viveu muita coisa. Que foi responsável não só pela sobrevivência de uns, mas também para o encontro e reencontro de outros. E porque não dizer, responsável por manter acesa a chama de liberdade no coração daqueles que o conheceram.
Antes de terminar, gostaria de falar mais umas coisas. O livro é dividido em 3 partes, sendo a primeira conhecemos a história de Mika, a segunda do soldado Matt e na terceira, conhecemos o fim do fantoche.
Observações:
O livro, apesar de ser uma obra de ficção, encontramos muitos fatos e personagens reais ao longo da leitura. O Gueto de Varsóvia realmente existiu, assim como sua revolta armada.
Janusz Korczak cujo o nome verdadeiro é Henryk Goldszmit, foi médico, pediatra, pedagogista, escritor, autor infantil, publicista, ativista social, oficial do Exército Polaco
. Sua morte foi narrada de uma forma que apertou meu coração nas páginas do livro, e pelo que pesquisei, não foi exagerada.
Monumento em homenagem ao médico e suas crianças.


Imagem do médico.




Monumento em homenagem ao médico e suas crianças.


O orfanato nos dias de hoje
2. Mordechaj Anielewicz, que no livro está escrito Mordecai, foi mesmo o líder da revolução no gueto.
Imagem de Mordechaj


Homenagem a Mordechaj
Imagem da construção do muro do gueto e dele pronto.


Imagens de Varsóvia nos dias de hoje
Homenagem aos heróis do gueto


Varsóvia hoje
Uma outra heroína do Gueto de Varsóvia citada no livro:
Com tudo isso, só posso dizer para que leiam!
a Rafflecopter giveaway

#Resenha O Momento Mágico


Oi amigos, hoje temos uma resenha feita pela fofa da Rudy, vamos conferir que livro ela escolheu para nos apresentar?

O Momento Mágico - Jeffrey Zaslow
320 páginas - Editora Novo Conceito
  
Sinceramente? Quando li a introdução do autor, fiquei até entusiasmada, achei que o livro iria abordar um pouco mais o aspecto psicológico das relações familiares em relação ao momento mágico do casamento, ou até se chegar a ele. 
Fiquei um tanto decepcionada porque na verdade ele conta mais a história da loja que passa por 3 ou 4 gerações, e, de algumas das pessoas que passam por ela para a compra do vestido de noiva, bem como das pessoas que acompanham a noiva nesse momento. O motivo da minha decepção é dá-se pelo fato de o autor apenas relatar as histórias e os fatos acontecidos com as pessoas escolhidas para estarem no livro e também a história da dona da loja no momento, um pouco sobre a família dela, etc...
O autor abordou bem superficialmente  os verdadeiros sentimentos que levam uma família inteira se envolver no ato da escolha do vestido e deteve-se mais na emoção da noiva no momento em que entra na SALA MÁGICA  e o escolhe. Me deu a impressão de que naquele momento é o momento certo e deslumbrante, independente da história de vida de cada pessoa que está lá. Difícil explicar o que esperava e o que encontrei...

“"Por favor, me acompanhe", diz Shelley. "Vamos ver como ele fica na Sala Mágica’”. (pág. 26)
Entendam! O livro não é ruim, de forma alguma. Foi um estudo elaborado, feito em detalhes pelo autor, porém esperei um pouco mais de profundidade sobre o casamento, sentimentos, etc. Devo dizer também que nunca achei importante o vestido de noiva em si, embora ache lindo apreciar a beleza dos mesmos, só que para mim, nunca achei algo importante a cerimônia e a festa de casamento. 
Perdoe-me quem valoriza esse momento. A meu ver a benção divina (feita em qualquer religião) e o compromisso pessoal com o parceiro(a) é o mais importante; vestimenta, festa, etc... é tudo fachada. E, talvez por ter essa percepção do casamento, o livro não tenha engrenado para mim.
Gosto de ver as abordagens psicológicas e no caso, foram fatos relatados, sem muito aprofundamento.
NOTA : 3,80 de 5,00

Beijos Rudynalva!!!!
 
 
 
a Rafflecopter giveaway

#Resenha O Começo de Tudo



Olá Leitores,
Se gostam de leituras juvenis, essa é uma boa pedida, confiram minha análise.
 O Começo de Tudo - Robyn Schneider
288 páginas - Editora Novo Conceito
Ezra Faulkner é um adolescente popular, namora Charlotte uma das belezas da escola Eastwood High e cree que sua vida não poderia ser melhor, mas ele pensa que todos nós passaremos por uma tragédia na vida, que será o ponto onde tudo mudará em nosso destino. Afinal seu amigo Toby, ao completar 12 anos teve a sua, em uma montanha russa na Disney e após esse acontecimento a amizade deles, deixou de ser a mesma, pelo menos até o último ano do ensino médio.
Ezra é como qualquer ser humano, tira conclusões precipitadas e se engana. Isso vai custar belos anos de amizade com o seu melhor amigo. No entanto quando temos amigos de verdade, mesmo que os afastemos por um período, eles voltam na hora certa para mostrar o seu valor. Faulkner sofre um acidente quando descobre que sua namorada o traí em um festa, por esse motivo ele não poderá mais jogar tênis, o esporte que tanto ama e perderá o "status" social que ele pensa ser importante.
Quando volta as aulas no início do último ano do ensino médio ele se sente deslocado e por isso ele passa a fazer parte da mesa de Toby, junto com Cassidy a aluna nova que está dando o que falar, Phoebe e Luke que são um casal e Austin um tremendo jogador. Todos CDFs de primeira, que participam de debates ou já participaram de campeonatos assim, ou seja, a mesa dos nerds, dotados de inteligência e simpatia. Quem disse que eles não são bonitos ou divertidos? Eles são tremendamente demais. É aí que Ezra começa a notar que de repente ele vivia em companhia das pessoas erradas.
Agora ele pode mostrar sua inteligência sem medo de o acharem estranho, no entanto notamos o quão difícil é ele deixar de lado o grupo dos atletas, mas cada um aprende o que é bom pra si, a sua própria maneira. Me apaixonei pelo rapaz que ele se tornou, sem o acidente acredito que ele não teria sido esse personagem admirável, mesmo que tivesse coração pra isso. Foi o novo ponto de vista que me fez ficar caidinha por ele. 
A amizade entre Ezra e Toby, não acontece na vida de todo mundo e muito menos vão da infância a adolescência, sem sofrer impactos que a transformam, na verdade não conheço nenhuma amizade que tenham se formado na infância e continue até a vida adulta. Claro, estou falando de amigos e não de família. E sempre que leio histórias assim, penso que teria gostado de algo assim, na minha vida. Alguém que nos conhece mais que a própria família e nos ama tanto quanto a mesma. Uma pessoa que puxa a orelha, mas que também sabe levantar nosso ego e nossa moral, nos tornando corajosos para enfrentar o que vier pela frente.

Torcemos pelo romance entre Faulkner e Cassidy, dois jovens que parecem ter tanto em comum e serem tão perfeitos juntos. Ter quem ilumine a noite e nos divirta é sempre fantástico. Então você deve estar achando tudo belo demais e aí eu falo, há um segredo que se torna previsível perto do final e que dará uma volta de 180 graus no desfecho. Mesmo entendendo eu não concordo, mas o que está feito não pode ser mudado.
A leitura flui fácil e se torna viciante, pois queremos saber qual o segredo que Cassidy está escondendo, já que ela é a personagem misteriosa na obra. Dentro dessas páginas também conhecemos Cooper o cachorro companheiro do Ezra, ele não aparece muito, mas foi importante suas poucas aparições. 
Feliz em ter conhecido a obra e pela escritora que soube conduzir essa história de uma maneira que não pude largar antes de chegar ao final. 


Beijos Elis!!!
   
 
a Rafflecopter giveaway

Textos para Refletir

retirado do site http://selmacoqueiropoesias.blogspot.com.br
 
 
a Rafflecopter giveaway

Presente Entregue

 
Oi amigos, é sempre bom quando vemos o sorriso no rosto de quem ganhou uma promoção. A sorridente da vez foi a Luiza, ganhadora da promoção relâmpago Um Conto do Destino. O livro foi enviado diretamente pela nossa parceira, a Editora Novo Conceito. Aproveito para mais uma vez agradecer à Luiza pela sua participação e confiança, e claro, pela gentileza de enviar a foto.

 
a Rafflecopter giveaway

Na Minha Caixa...

 
Oi amigos, fim do mês chegou e eu não poderia deixar de mostrar para vocês o que chegou pra mim em abril. Vamos lá?
Estes lindinhos aqui eu ganhei do blog Minha Velha Estante da Adriana Medeiros: 

Este eu ganhei do blog Artesanatos, Livros e Outras Coisas da Nataly Gonçalves:

Este kit eu ganhei do blog Mulheres Românticas:




Este eu ganhei do blog Mademoiselle Love Books da Ana Luiza

Também chegaram os livros da Editora Novo Conceito:











Este eu ganhei do blog Ler para Divertir da Gisele Bortoloso:

Este aqui eu comprei para meus filhotes:

Este kit eu ganhei no blog Lendo nas Entrelinhas da Herida:


Kit ganho


Detalhe dos livretos
                                        Detalhe dos cartões



Detalhe dos marcadores








Nem bem chegou a caixa de abril da Editora Novo Conceito, e a de maio também deu o ar da graça. E junto com os livros, a editora ainda enviou uma linda bolsa, olhem só: 
















Então amigos, o que acharam?
a Rafflecopter giveaway