Três Dias Para Ver



O que você olharia se tivesse apenas três dias de visão?

Helen Keller, cega e surda desde bebê, dá a sua resposta neste belo ensaio, publicado no Reader's Digest (Seleções)

Várias vezes pensei que seria uma benção se todo ser humano, de repente, ficasse cego e surdo por alguns dias no princípio da vida adulta. As trevas o fariam apreciar mais a visão e o silêncio lhe ensinaria as alegrias do som.
De vez em quando testo meus amigos que enxergam para descobrir o que eles vêem. Há pouco tempo perguntei a uma amiga que voltava de um longo passeio pelo bosque o que ela observara. "Nada de especial", foi à resposta.
Como é possível, pensei, caminhar durante uma hora pelos bosques e não ver nada digno de nota? Eu, que não posso ver, apenas pelo tacto encontro centenas de objetos que me interessam. Sinto a delicada simetria de uma folha. Passo as mãos pela casca lisa de uma bétula ou pelo tronco áspero de um pinheiro.
Na primavera, toco os galhos das árvores na esperança de encontrar um botão, o primeiro sinal da natureza despertando após o sono do inverno. Por vezes, quando tenho muita sorte, pouso suavemente a mão numa arvorezinha e sinto o palpitar feliz de um pássaro cantando.
Às vezes meu coração anseia por ver tudo isso. Se consigo ter tanto prazer com um simples toque, quanta beleza poderia ser revelada pela visão! E imaginei o que mais gostaria de ver se pudesse enxergar, digamos por apenas três dias.
Eu dividiria esse período em três partes. No primeiro dia gostaria de ver as pessoas cuja bondade e companhias fizeram minha vida valer a pena. Não sei o que é olhar dentro do coração de um amigo pelas "janelas da alma", os olhos. Só consigo "ver" as linhas de um rosto por meio das pontas dos dedos. Posso perceber o riso, a tristeza e muitas outras emoções. Conheço meus amigos pelo que toco em seus rostos.
Como deve ser mais fácil e muito mais satisfatório para você, que pode ver, perceber num instante as qualidades essenciais de outra pessoa ao observar as sutilezas de sua expressão, o tremor de um músculo, a agitação das mãos. Mas será que já lhe ocorreu usar a visão para perscrutar a natureza íntima de um amigo? Será que a maioria de vocês que enxergam não se limita a ver por alto as feições externas de uma fisionomia e se dar por satisfeita?
Por exemplo, você seria capaz de descrever com precisão o rosto de cinco bons amigos? Como experiência, perguntei a alguns maridos qual a exata cor dos olhos de suas mulheres e muitos deles confessaram, encabulados, que não sabiam.
Ah, tudo que eu veria se tivesse o dom da visão por apenas três dias!
O primeiro dia seria muito ocupado. Eu reuniria todos os meus amigos queridos e olharia seus rostos por muito tempo, imprimindo em minha mente as provas exteriores da beleza que existe dentro deles. Também fixaria os olhos no rosto de um bebê, para poder ter a visão da beleza ansiosa e inocente que precede a consciência individual dos conflitos que a vida apresenta. Gostaria de ver os livros que já foram lidos para mim e que me revelaram os meandros mais profundos da vida humana. E gostaria de olhar nos olhos fiéis e confiantes de meus cães, o pequeno scottie terrier e o vigoroso dinamarquês.
À tarde daria um longo passeio pela floresta, intoxicando meus olhos com belezas da natureza. E rezaria pela glória de um pôr-do-sol colorido. Creio que nessa noite não conseguiria dormir.
No dia seguinte eu me levantaria ao amanhecer para assistir ao empolgante milagre da noite se transformando em dia. Contemplaria assombrado o magnífico panorama de luz com que o Sol desperta a Terra adormecida.
Esse dia eu dedicaria a uma breve visão do mundo, passado e presente. Como gostaria de ver o desfile do progresso do homem, visitaria os museus. Ali meus olhos veriam a história condensada da Terra -- os animais e as raças dos homens em seu ambiente natural; gigantescas carcaças de dinossauros e mastodontes que vagavam pelo planeta antes da chegada do homem, que, com sua baixa estatura e seu cérebro poderoso, dominaria o reino animal.
Minha parada seguinte seria o Museu de Artes. Conheço bem, pelas minhas mãos, os deuses e as deusas esculpidos da antiga terra do Nilo. Já senti pelo tacto as cópias dos frisos do Paternon e a beleza rítmica do ataque dos guerreiros atenienses. As feições nodosas e barbadas de Homero me são caras, pois também ele conheceu a cegueira.
Assim, nesse meu segundo dia, tentaria sondar a alma do homem por meio de sua arte. Veria então o que conheci pelo tacto. Mais maravilhoso ainda, todo o magnífico mundo da pintura me seria apresentado. Mas eu poderia ter apenas uma impressão superficial. Dizem os pintores que, para se apreciar a arte, real e profundamente, é preciso educar o olhar. É preciso, pela experiência, avaliar o mérito das linhas, da composição, da forma e da cor. Se eu tivesse a visão, ficaria muito feliz por me entregar a um estudo tão fascinante.
À noite de meu segundo dia seria passada no teatro ou no cinema. Como gostaria de ver a figura fascinante de Hamlet ou o tempestuoso Falstaff no colorido cenário elisabetano! Não posso desfrutar da beleza do movimento rítmico senão numa esfera restrita ao toque de minhas mãos. Só posso imaginar vagamente a graça de uma bailarina, como Pavlova, embora conheça algo do prazer do ritmo, pois muitas vezes sinto o compasso da música vibrando através do piso.
Imagino que o movimento cadenciado seja um dos espetáculos mais agradáveis do mundo. Entendi algo sobre isso, deslizando os dedos pelas linhas de um mármore esculpido; se essa graça estática pode ser tão encantadora, deve ser mesmo muito mais forte a emoção de ver a graça em movimento.
Na manhã seguinte, ávida por conhecer novos deleites, novas revelações de beleza, mais uma vez receberia a aurora. Hoje, o terceiro dia, passarei no mundo do trabalho, nos ambientes dos homens que tratam do negócio da vida. A cidade é o meu destino.
Primeiro, paro numa esquina movimentada, apenas olhando para as pessoas, tentando, por sua aparência, entender algo sobre seu dia-a-dia. Vejo sorrisos e fico feliz. Vejo uma séria determinação e me orgulho. Vejo o sofrimento e me compadeço.
Caminhando pela 5ª Avenida, em Nova York, deixo meu olhar vagar, sem se fixar em nenhum objeto em especial, vendo apenas um caleidoscópio fervilhando de cores. Tenho certeza de que o colorido dos vestidos das mulheres movendo-se na multidão deve ser uma cena espetacular, da qual eu nunca me cansaria. Mas talvez, se pudesse enxergar, eu seria como a maioria das mulheres – interessadas demais na moda para dar atenção ao esplendor das cores em meio à massa.
Da 5ª Avenida dou um giro pela cidade – vou aos bairros pobres, às fábricas, aos parques onde as crianças brincam. Viajo pelo mundo visitando os bairros estrangeiros. E meus olhos estão sempre bem abertos tanto para as cenas de felicidade quanto para as de tristeza, de modo que eu possa descobrir como as pessoas vivem e trabalham, e compreendê-las melhor.
Meu terceiro dia de visão está chegando ao fim. Talvez haja muitas atividades a que devesse dedicar as poucas horas restantes, mas acho que na noite desse último dia vou voltar depressa a um teatro e ver uma peça cômica, para poder apreciar as implicações da comédia no espírito humano.
À meia-noite, uma escuridão permanente outra vez se cerraria sobre mim. Claro, nesses três curtos dias eu não teria visto tudo que queria ver. Só quando as trevas descessem de novo é que me daria conta do quanto eu deixei de apreciar.
Talvez este resumo não se adapte ao programa que você faria se soubesse que estava prestes a perder a visão. Mas sei que, se encarasse esse destino, usaria seus olhos como nunca usara antes. Tudo quanto visse lhe pareceria novo. Seus olhos tocariam e abraçariam cada objeto que surgisse em seu campo visual.
Então, finalmente, você veria de verdade, e um novo mundo de beleza se abriria para você.
Eu, que sou cega, posso dar uma sugestão àqueles que vêem: usem seus olhos como se amanhã fossem perder a visão. E o mesmo se aplica aos outros sentidos.
Ouça a música das vozes, o canto dos pássaros, os possantes acordes de uma orquestra, como se amanhã fossem ficar surdos. Toquem cada objeto como se amanhã perdessem o tacto. Sintam o perfume das flores, saboreiem cada bocado, como se amanhã não mais sentissem aromas nem gostos. Usem ao máximo todos os sentidos; goze de todas as facetas do prazer e da beleza que o mundo lhes revela pelos vários meios de contacto fornecidos pela natureza. Mas, de todos os sentidos,
estou certa de que a visão deve ser o mais delicioso. 


Helen Keller

Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Meme: Conhecendo @ Blogueir@


Oi amigos, fazia um tempão que eu não recebia nenhum meme, mas esta semana a querida Alinne do blog Books e Desenhos mandou este meme que respondi com muito carinho e que venho dividir com vocês:



1.Quando surgiu a ideia de criar seu blog?
A ideia partiu da minha irmã que sugeriu eu fazer uma página no Orkut para divulgar os convites que estava fazendo. Depois que fiz o Orkut, achei melhor fazer um site, então acabou nascendo o blog que com o tempo foi evoluindo e hoje está falando sobre mais coisas.

2. Origem do nome do blog.
Como eu expliquei acima, foi inicialmente feito para divulgar os convites de aniversário, então vem daí o nome.

3. Você tem outros blog além desse?
Não, nem estou dando conta deste direito. Até pensei em trocar o nome, ver um que tem mais a cara do blog atualmente, mas o endereço seria complicado então deixei como está.
 
4. Já pensou em desistir alguma vez do seu blog?
Na verdade não, mesmo quando no início recebi crítica que ele era feio e bagunçado.

5. Mande uma mensagem para seus seguidores
Agradeço imensamente a todos que passam por aqui e deixam seus comentários. Agradeço também aqueles que passam e não deixam comentários, pois sei que nem sempre dá tempo disso.

Sobre o blogueir@:
1.Uma música: Eu Sei Que Vou Te Amar... e Assim Sem Você.
2.Um livro: As Palavras Que Nunca Te Direi - Nicholas Sparks e Ágape - Pde Marcelo Rossi
3.Um filme: My Life
4.Um hobby: Ler e assistir filmes
5.Um medo: rato e barata (tenho pavor) e de assalto.
6.Uma mania: Roer unha
8.Não consigo viver sem: meus filhos.
9.Tem coleção de alguma coisa? fora livros, nenhuma.
10. Gostaria de fazer alguma pergunta aos próximos participantes? O que te faz parar de seguir um blog?
11.O que vocês mais gostam nos blogs? Ultimamente visito mais os literários, gosto de saber sobre os livros que estão sendo lançados e ler um pouco sobre eles.

 Indico este meme para: 
Oi gente, como estou praticamente direto no hospital com meu marido que está internado, não tive tempo de verificar quem já respondeu este meme, por isso peço desculpas aos blogs indicados caso eles já tenham respondido. Aproveito para agradecer a Alinne pela lembrança. Beijos em todos.

Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Dica Cultural



Oi amigos, hoje é dia de "Dica Cultural", e a nossa dica de hoje vem da nossa amiga Ariana Alves que já está concorrendo ao livro "Qual seu número?". Vamos então a dica enviada pela Ariana:
Para quem mora ou está de passagem por Cuiabá no Mato Grosso, pode aproveitar o fim de semana e dar um pulinho no Sesc Arsenal e participar do "Dia Internacional da Dança". Está sendo preparado várias oficinas gratuitas para comemorar este dia. Se inscreva e aproveite para além de aprender se divertir.


Para maiores informações podem ligar no número que está no cartaz ou no e-mail. Dei uma olhada no site do Sesc Arsenal e conferi o endereço para vocês, então anotem na agenda:
EndereçoRua Treze de Junho,s/n - Centro Sul - 78020-001 - Cuiabá-MT
Fone(65) 3616-6901

Uma ótima diversão para todos que forem e mais uma vez agradeço a participação da Ariana Alves. Como já informei no e-mail que enviei para ela, a Ariane já está concorrendo ao livro "Qual seu número?". Como foi a primeira a enviar a dica para a seção "Dica Cultural", ela concorre com o número 01. Se você gostou desta dica, não esqueça de deixar seu comentário, e caso queira concorrer ao livro, faça como a Ariana e nos mande um dica cultural de sua cidade. Beijos e até mais.


Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Pais & Filhos



Oi amigos, hoje tenho uma pergunta para faze para você que é pai assim como eu:
"Você sabe o que seu filho anda fazendo?"
Pois é meus amigos, com a saída da mulher para o mercado de trabalho, os filhos acabaram ficando mais tempo sem supervisão dos pais, o que antigamente ficava exclusivamente nas costas das mulheres. 
Hoje em dia, com ambos os pais trabalhando fora e muitas vezes vendo o filho já de noite, tem muito pai que não se interessa muito em saber o que de verdade o filho anda fazendo por aí, seja para evitar dores de cabeça e brigas, seja por cansaço ou simplesmente para passar por "Pai Liberal", a verdade é que você pai deve sim procurar saber o que seu filho anda fazendo. Vou dividir com vocês uma experiência que tive faz 2 semanas. Quem segue o blog sabe que eu estou reformando uma casa (sim esta reforma não termina nunca!) e começou a entrar crianças dentro da casa, mesmo ela estando murada e com portão. Eu sempre achei um desaforo além de ser perigoso, pois em obra tem muita coisa que pode machucar, fora as alturas que existem em especial na minha futura casa que podem ser fatais. Fato é que meu cunhado e cunhada cansaram de avisar as crianças e elas nem deram atenção. Pelo menos não deram até sexta feira retrasada, pois desta vez eu peguei eles lá dentro e dei um sonoro esporro com dedo em riste e ameaça de polícia. teve criança que ficou com tanto medo que não conseguia sair lá de dentro. 
Mas o problema não parou por aí, no dia seguinte, meu pedreiro veio me avisar que haviam sumido várias coisas de lá, tanto da obra em si, como dele mesmo. Nossa, nem preciso dizer como fiquei irada com a situação. Revoltada mesmo. Mas já que eles não colocaram fé na minha loucura, eis que fiz o espetáculo final. na segunda feira descobri o nome de um por um que entrou em casa, assim como suas respectivas casas e de noite fui de porta em porta para conversar com cada pai e deixar bem claro o que estava acontecendo. Não dei voltas, fui direto ao ponto e falei claramente que o filho dele/dela invadiu minha casa e que havia sumido um monte de coisas de lá, e que se ele não roubou, sabe quem o fez. Também deixei claro que a próxima vez que entrasse na minha casa, só sairia de lá com a polícia. Disse isso com todas as letras, na frente de cada pai e de cada criança. Acabei descobrindo quem pegou as coisa, e lógico que não consegui de volta. O responsável era o menor da turma, com apenas 6 anos, acreditem! Enquanto a coitada da mãe sai 5 horas da manhã ´para trabalhar o dia inteiro ele fica aprontando por aí. Fiquei com pena dela, pois pude perceber que ela não é o tipo de mãe que passa a mão na cabeça como percebi em outras que conversei.
Pra mim não importa, deixei bem claro para todos, que na minha opinião, mesmo tenho sido um o acusado de roubo, todos eram cúmplices e por isso mesmo culpados, e que da próxima não teria perdão não, era polícia mesmo. E que cada pai estava ciente do que poderia acontecer dali para frente, estando eu lavando minhas mãos.
Acreditem sumiram as crianças de frente de casa, a rua depois deste episódio ficou vazia. Soube que o de 6 anos chegou a apanhar da mãe, dos outros não tenho e nem quero ter ideia, afinal já tenho 2 com que me preocupar. Por isso meus amigos, volto a pergunta: "Você sabe o que seu filho anda fazendo?"
Pois procure saber para não ter surpresas desagradáveis. Beijos em todos.

Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Derrame




O que é AVC (acidente vascular cerebral)?
O AVC pode ser isquêmico ou hemorrágico. O AVC isquêmico (85% dos casos) é decorrente de uma incapacidade do sangue chegar até o tecido cerebral. Já o derrame hemorrágico é provocado por uma ruptura do vaso, com o extravasamento de sangue, formando um coágulo na região.

Quais as causas do AVC?
Em 80% dos casos, a doença surge em conseqüência da pressão alta ou hipertensão.

É possível evitar o AVC?
Sim, conhecendo e evitando os principais fatores de risco como: hipertensão ou pressão alta, obesidade, tabagismo, diabetes, vida sedentária e combatendo continuamente o stress.

Como agir quando houver suspeita de derrame e qual o tratamento disponível?
O paciente vítima de AVC deve ser socorrido em até 3 horas, pois o tratamento com medicação adequada pode reverter o processo de oclusão ou estreitamento em até 30% dos casos, impedindo e necrose do tecido cerebral que causam as temíveis seqüelas.

Como reconhecer os sinais típicos do AVC?
O paciente deixa de movimentar um lado do corpo, sensação de braço pesado ao pegar algo, desvio na boca, fala enrolada e mais lenta, começar a esbarrar sempre em algum objeto sem perceber (metade da visão alterada).
Vale lembrar que nenhum tratamento é mais eficiente do que a prevenção. E quanto mais rápido o paciente for atendido e medicado, menores as chances de lesões cerebrais.

Um ótimo dia e uma excelente saúde para todos!

 Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Dicas Literárias


Olá amigos, hoje é dia de "Dicas Literárias". E hoje vamos começar por uma promoção que está sendo realizada pela Andross Editora, parceira aqui do blog. Trata-se de uma promoção relâmpago feita pelo twitter, por isso corram para participar. Para isso, basta tuitar a frase abaixo, tomando o cuidado de substituir o @XXXXXXXX pelo seu endereço no twitter. Pronto, você já está concorrendo aos livros oferecidos pela Andross Editora. A frase a ser tuitada é:

"Sorteio 30/04/2012 sigo @LivrosPauta e @XXXXXXX Retuitei e concorro a um kit com 4 livros da @AndrossEditora" http://ow.ly/atpn3

O kit dos livros que você estará concorrendo é:
Espero ver todo mundo concorrendo e tuitando. Boa sorte para todos.



Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Leituras de 2012 #15




Oi amigos, hoje é dia de falar sobre os últimos livros que andei lendo. E esta semana eu tive uma overdose de Diana Palmer. Foram 4 livros, todos antigos da década de 80. Espero que gostem:


Gesto de Ternura:

Mag Shane havia decidido sair de sua cidade natal para tornar-se modelo na “cidade grande”, deixando para trás seu grande amor Bruce. Sem muitas esperanças que Bruce se apaixonasse por ela, Mag segue sua vida. Mas um acontecimento inesperado faz com que Mag volte para sua cidade para “espantar” seus fantasmas. Com medo do que Bruce possa dizer, ela usa o casamento de sua irmã como desculpa pra seu período de recolhimento. A antiga paixão a tempos deixada de lado ainda sobrevive mesmo com a distância. A proximidade de ambos só confirma o que todos já sabem, que Mag e Bruce foram feitos um para outro. Resta apenas que eles percebam isso. Um romance antigo da década de 80, não é dos melhores de Diana Palmer. Indico para quem procura uma leitura leve e descompromissada.

Romance Impossível:
Keegan Taber é um rico criador de cavalos que passou uma noite do passado com Eleanor Whitman. Apaixonada, Eleanor teve um duro golpe quando no dia seguinte viu Keegan assumir o noivado com sua namorada. Mesmo depois de tantos anos, ela não consegue esquecer a vergonha e muito menos a noite que passaram juntos. Não querendo mais nada com Keegan, ela inicia um namoro com um famoso “Dom Juan” da cidade, e mesmo com os alertas feitos por Keegan, ela segue em frente. Decidido a provar para Eleanor que mudou, e que a noite que passaram juntos foi a razão desta mudança. Keegan faz tudo para conquistar Eleanor, mas a missão é árdua, pois as barreiras erguidas por ela são inúmeras, fora este namoro que ela está tendo. Um romance sem muitos oh...

Noites de Delírio:
Beth Cambridge é uma excelente atriz, mas quis o destino que ela tivesse que aceitar o emprego na peça de seu antigo namorado, o agora rico e famoso Edward. O relacionamento deles terminou muito mal, mas ela tem que engolir o orgulho pois precisa do emprego. Sendo cruelmente cobrada por Edward, Beth vê sua vida virar um inferno até perceber que está de novo nos braços de Edward. Do inferno ao céu e novamente ao inferno, a viagem foi curta e rápida. Agora Beth está grávida e sem dinheiro, e Edward tem certeza que o filho não é dele. Apenas com o apoio de dois amigos, ela continua no espetáculo e com a gravidez, mas decide se afastar de Edward. Em uma situação muito difícil, ela acaba aceitando a ajuda de Edward, mesmo sabendo que ele não acredita nela. E o que dizer então do inesperado pedido de casamento? Será que finalmente eles vão se entender? Um romance onde o amor se faz presente, mas que carrega consigo muita mágoa e desconfiança.


Mensageira do Amor: Amelia Glenn acaba se surpreendendo e muito quando vai fazer uma mensagem cantada ao todo poderoso Wantword Carson. Em vez de surpreender, é ela que se surpreende com a frieza do rapaz. Mal sabe ela que este encontro vai mudar por completo sua vida, a começar pela foto escandalosa que saiu no jornal. Decidida a se vingar do bonitão rico e frio, ela vai até a casa dele pedir satisfações e lhe dizer alguns desaforos, já que acabou perdendo o emprego. Ao chegar lá, mais uma surpresa do destino e Amelia acaba sendo contratada pela mãe de Carson que logo caiu de amores por ela. Mas não foi só a simpática senhora que acaba caindo de amores nesta história, e um futuro romance fatalmente acontece. Após uma noite juntos, Amelia acha que não tem nenhum futuro ao lado de Carson e decide fingir que nada aconteceu, pelo menos até descobrir que estava grávida. Agora o que fazer diante daquele que nada quer com compromisso e da senhora que não vê a hora de ter neto?


Gente, não pude contar muita coisa destes livros porque eles são fininhos e eu acabaria tirando a graça da história se escrevesse mais alguma coisa. São romances simples com passagens boas e outras que nos fazem rir. Leves, bons para uma tarde chuvosa e que você não tenha outra leitura mais interessante. Não são os melhores de Diana Palmer, mas eu gosto do gênero e não tenho problemas em ler este tipo de livro.



Para quem me acompanha nos desafios literário, minha lista está assim: 
  1. A Montanha dos Mackenzie (Linda Howard);
  2. Missão Mackenzie (Linda Howard);
  3. O Prazer de Mackenzie (Linda Howard);
  4. O Encanto da Montanha (Linda Howard);
  5. Jogo do Acaso (Linda Howard);
  6. Poirot Investiga (Agatha Christie);
  7. Reencontro (Leila Kruger); 
  8. Cem Toques Cravados (Edson Rossatto);
  9. O Céu Está em Todo Lugar (Jandy Nelson);
  10. Formaturas Infernais (Meg Cabot, Stephenie Meyer, Michele Jaffe e Lauren Myracie);
  11. Como Treinar o seu Dragão  (Cressida Cowell);
  12. O Segredo de Chimneys  (Agatha Christie);
  13. Dançando no Ar - vol.1 - Trilogia da Magia (Nora Roberts);
  14. Entre o Céu e a Terra - vol.2 - Trilogia da Magia (Nora Roberts);
  15. Enfrentando o Fogo - vol.3 - Trilogia da Magia (Nora Roberts);
  16. Um Mundo Brilhante (T. Greenwood); 
  17. Por Linhas Tortas (Cynthia França); 
  18. O Segredo Mais Sombrio (Gena Showalter);
  19. A Rendição Mais Sombria (Gena Showalter);
  20. Um Homem de Sorte (Nicholas Sparks);
  21. Feitiço do Passado (Jennie Lucas);
  22.  O Doce Sabor da Vingança (Melaine Milburne);
  23. Para Sempre Ana (Sérgio Carmach);
  24. Julieta Imorta (Stacey Jay); 
  25. Asas ( Aprilynne Pike);
  26. Para Sempre (Kim e Krickitt Carpenter);
  27. Corações em Fase Terminal (Fabiane Ribeiro)
  28. Casada com um Aventureiro (Debra Lee Brown);
  29. Presentes da Vida (Emilly Giffin)
  30. Gesto de Ternura (Diana Palmer);
  31. Romance Impossível (Diana Palmer);
  32. Noites de Delírio (Diana Palmer);
  33. Mensageira do Amor (Diana Palmer);
Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


QUERO SILÊNCIO


 
Silêncio. Silêncio, por favor. Psiu. Gritamos e colocamos janelas à prova de som, paredes almofadadas, tapetes, forros etc. O barulho de construção, de serra elétrica, de motores de carro, de buzinas -é o preço da modernidade, mas não é sobre isso que eu quero falar, e sim sobre o barulho humano de crianças e jovens. Quero falar dos sons das gentes.
Há anos, fala-se sobre a dificuldade de conciliar modernidade com ausência de silêncio e falta de espaço. Amplo espaço silencioso virou artigo de luxo.
Contudo, tenho que confessar que somos nós, adultos, que liberamos e orquestramos esse inferno em que o barulho humano transformou o nosso mundo. Assentimos que ruídos ensurdecedores feitos por crianças, jovens e jovens adultos dominem.

Existem certos recintos que não conseguimos evitar, e, assim, ninguém consegue um encontro consigo mesmo, que sem silêncio é impossível.
Nada contra a alegria e tudo contra o som pelo som, só para fazer companhia e evitar esse encontro. Musiquinha de fundo invade o planeta. Ficamos sem refúgio. Solidão e silêncio viraram palavrão?

Creiam-me, mesmo em hotéis grandões, é difícil encontrar lugar onde a criança entra sem fazer barulho. Só no bar, onde o escurinho à meia-luz é sinal, aliás o único respeitado pelas crianças. Em todos os lugares, seja ônibus, avião, lanchonete, cantina, somos envolvidos por gritos e por música, jamais por sussurros.
Como é que as crianças, as mesmas que gritam e galopam pelos corredores, conseguem manter-se em silêncio na missa, no culto, em enterros e em velórios? Como é que respeitam também o cinema?
Pode parecer até que sou contra criança, mas não sou, não, pois acho que somos nós, os adultos, por temer o silêncio, que instigamos ou deixamos o barulho vingar em volta de nós.
Quando vem uma ordem de silêncio pra valer, elas se calam e param de correr. Vivemos um momento e em um universo em que a aversão ao silêncio não se manifesta só com música de fundo, com escapamento desregulado, com os motoqueiros, mas ainda nos damos ao luxo de liberar qualquer barulhento em qualquer lugar.
O que aconteceria se, de repente, o silêncio caísse sobre nós? Respondo: discursos interiores, voz da "consciência", emergiriam. Talvez sejamos todos culpados por maus pensamentos e/ou intenções, o que nos leva a viver em permanente esquiva de nós mesmos.
Com a barulheira que nos rodeia, tornamo-nos surdos a nós mesmos. Parece que o lema atual é: evitar o silêncio é o dever de todos. Deseduquem-se os outros. Silêncio é necessário para que se possa manter os homens como seres pensantes, criativos, dotados de memória e livres do excesso de estresse.
Não quero que o silêncio só exista na calada da noite, no alto das montanhas, no ermo das matas. Quero-o no contato com as pessoas queridas, ricas e coloridas -meus semelhantes. Não quero ser misantropa, quero ruído normal que me permita falar, sentir e pensar.


ANNA VERÔNICA MAUTNER

Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Aladdin: Convites de Aniversário


Atendendo a pedidos dos meus filhos que pediram para ver os convites do Aladdin, espero que gostem.






















Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Prestação de Contas



Oi amigos, hoje já é a última semana do mês, e por conta disso, resolvi colocar para vocês a relação das 4 pessoas que mais comentaram no mês. Como vocês sabem, a pessoa que mais comentar no mês, estará automaticamente concorrendo a um livro no meio do ano. Contei os comentários feitos desde o dia 1º de abril até ontem de noite. vamos conhecer a relação temporária, já que os comentários ainda serão contados até o dia 30 de abril, por isso, continuem comentando...
  1. Rudy: 14 comentários;
  2. Luciane Pinheiro: 5 comentários;
  3. Alinne Lopes: 4 comentários;
  4. Maria Ester: 4 comentários;
Apesar da minha querida Rudy está bem na frente, ainda dá tempo de alcançá-la e passá-la, basta comentar nas diversas postagens existentes no blog. Não precisa seguir nada e nem preencher nada. Sua opinião é o que conta. Dia primeiro estarei dando o resultado definitivo do mês. Beijos em todos e um ótimo domingo.

Aproveitem para participar do Top Comentarista deixando seu comentário


Novidades da Editora Dracaena



Olá meus amigos, esta semana fiquei praticamente sem internet, por isso a demora em responder aos recados. Também por conta disso, fiquei devendo para vocês as novidades da Editora Dracaena. Peço desculpas por isso, mas eis que finalmente compartilho com vocês tudinho desta nossa parceira:



 Diário Serial – Igor Castro


Sinopse:
Verão no litoral catarinense. Uma época de sol, calor e muitas festas. 
Mas esta rotina paradisíaca mudará quando uma série de assassinatos assolar a cidade, em eventos nunca antes presenciados. 
Um serial killer está solto, escrevendo em seu diário seus mais profundos e aterrorizantes sentimentos, descrevendo como se sente quando mata e como pretende continuar com seu plano. 
A única esperança da cidade é uma dupla de jovens policiais, que caçarão o assassino nos mais diversos cantos da Ilha da Magia. 
Um thriller bombástico do início ao fim, que colocará o primeiro serial killer em terras florianopolitanas. 

Interessante né? Ainda tem o Book Trailler:







Gostaram? Então anota os detalhes e onde comprar:


Titulo: O Diário Serial
Autora: Igor Castro
Editora: Dracaena
ISBN: 9788564469785
Páginas: 224
Onde Comprar (Pré-venda):




Autores Nacionais em Destaque:


 Janethe Fontes:



Sinopse:
Por amor se mata? O amor destrói?
E o ciúme, pode ou não ser controlado? Sentimento Fatal levará você a pensar nessas questões e rever seus conceitos... todos os seus conceitos em relação ao amor. "Dividida entre a paixão avassaladora do marido Roberto, que tem um ciúme doentio, e o grande amor de infância de Daniel, que ela torna a encontrar dez anos depois, Adriana Diniz Martinez terá de vencer o medo e reencontrar a si mesma... Lutar pela própria integridade e também pela filha Letícia, pela qual é capaz de tudo, sobretudo suportar a violência do marido, sobretudo suportar a própria infelicidade."





Interessados podem ler a entrevista da autora clicando aqui e comprar o livro por aqui, e ainda ganhar frete grátis!


Raphaella Melo:

Sinopse:
Solitário, frustrado e fugindo de um caçador de vampiros que o perseguia no Velho Continente, o enigmático Marq Melo Monteiro, depois de 245 anos, retorna ao antigo lar, Cidade dos Anjos, de onde escapou após o assassinato dos pais. 

O que Marq não esperava é que, logo ao chegar, conhece Carol Miranda, aficionada em ciências ocultas e bruxaria, mas que esconde dele a sua identidade. 

Marq, cuja intenção é reintegra-se à sociedade, também não revela à Carol a sua verdadeira história. 
Quando em Cidade dos Anjos pessoas aparecerem misteriosamente mortas, Marq descobre que há outros vampiros em ação. 

Até quando, no seu relacionamento com Carol, conseguirá esconder a real identidade e instintos, uma vez que Carol, se souber que ele é um vampiro, irá associá-lo às mortes ocorridas?

E Marq? Conseguirá não provar do sangue da amada, que tanto deseja, e manter seu segredo a salvo?

Interessados podem ler a entrevista da autora clicando aqui e comprar o livro por aquie ainda ganhar frete grátis!


Jéssica Anitelli


Sinopse:
Seus olhos verdes sempre cruzavam com aqueles olhos gélidos durante a noite. Ao vê-los, junto com aquela pele esbranquiçada, o coração disparava, os pelos do corpo arrepiavam e a boca secava. 

Eram essas as sensações que Diogo sentia ao ver a figura daquele homem que o seguia desde criança. Sentia medo, lógico, mas por outro lado tinha a sensação de que algo em sua alma os ligava. 

Mal sabia que Augusto, um vampiro com mais de 100 anos, tinha planos para ele, planos esses que envolviam sua ida para a vida noturna. 

Após a noite em que o sangue de Augusto tocar seus lábios sua adolescência nunca mais será a mesma, se tornará sombria, tenebrosa, intrigante e ao mesmo tempo fascinante.

Mas conseguirá ocultar lembranças e sentimentos humanos? Esquecerá o amor por Júlia?

As mudanças sofridas no início de sua existência noturna serão baseadas em Henrique, um vampiro que possuía os mesmos olhos verdes de Diogo e de sua família, tão verdes quanto às esmeraldas contidas no punhal.

A autora Jéssica Anitelli e o seu livro "O Punhal", foram destaque no jornal "A Notícia" no dia 14/04:



E se você é uma das várias pessoas que se interessaram pelo livro, saiba que pode comprá-lo pelo site da Dracaena, basta clicar aqui.

E não esqueça, se você quer publicar seu livro em uma das editoras que mais cresce no Brasil, não deixe de enviar seu original para avaliação através do email: publique@dracaena.com.br
Para mais informações acesse o site da Editora Dracaena.